Buzinaço pede reabertura do comércio em Londrina


Guilherme Marconi - Grupo Folha
Guilherme Marconi - Grupo Folha

Uma carreata com buzinaço em favor da reabertura imediata do comércio de Londrina percorreu as principais avenidas da cidade na tarde desta sexta-feira (27). A manifestação, convocada pelas redes sociais, foi contrária ao isolamento social adotado pelo prefeito Marcelo Belinati (PP) e pelo governador Ratinho Junior (PSD), que assinaram decretos com medidas restritivas para evitar aglomeração de pessoas e a propagação do coronavírus.

 

Buzinaço pede reabertura do comércio em Londrina
Gustavo Carneiro / Grupo Folha
 



Entre as centenas de manifestantes estavam motoristas de aplicativo, taxistas, comerciantes e apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, que em pronunciamento em cadeia nacional na última terça-feira (24) defendeu apenas o isolamento de idosos e grupos de risco e pregou volta à normalidade, retomada das aulas e criticou decreto de governadores favoráveis ao isolamento, além de chamar a doença de "gripezinha".  "A gente precisa trabalhar. Eu acho que os idosos devem ficar em casa, que é o meu caso, mas a economia não pode parar. O coranavírus é um 'problemão' que está aí, mas se parar será ainda pior", disse o representante comercial Sergio Pruner.  




LEIA TAMBÉM:


Crise do coronavírus reduz projeções para o PIB em 2020


Prefeitura de Maringá confirma duas mortes por coronavírus


A motorista de Uber Alaina Pontes informou que a renda dela caiu 80% desde que começou o fechamento do comércio e a suspensão de aulas.  "Nós que somos autônomos não podemos parar. Não temos estrutura para tudo isso que está acontecendo."  A motorista defende a volta do comércio e não teme avanço descontrolado da pandemia. "Sou a única provedora financeira da minha casa, tenho meus filhos, aluguel do carro, não tem com ficar assim". 


Buzinaço pede reabertura do comércio em Londrina
Gustavo Carneiro / Grupo Folha
 


Também sem passageiros, o motorista Amauri Silva Pereira levou a esposa e os dois filhos no carro para o buzinaço. O autônomo diz estar em inseguro e não acredita que ajuda prometida pelo governo federal será suficiente para enfrentar a crise e manter a família. "Esse pacote é para quem é cadastrado em programas sociais. E para quem não é cadastrado. Como fica?", indagou. 


O empresário do setor de segurança Sebastian Fernandes é favorável ao isolamento vertical, assim como defendeu Bolsonaro. "A pior epidemia ainda esta por vir, que é a epidemia financeira. A minha empresa tem 85 funcionários, eu já dispensei 13, eu precisei dar férias emergenciais para outros seis e a no retorno devo demitir estes e outros. Tem que ser retomado, aliás nunca deveria ter parado."  Segundo ele, no Brasil o clima e outros fatores não irão acarretar em elevado número de mortes como países como Itália e Espanha. "Todo mundo que está aqui está pensando no futuro do seu negócio, no sustento. Não são apenas apoiadores do Bolsonaro." 


O prefeito classificou como legítima a manifestação, mas não pretende revogar o decreto que prevê o fechamento até 6 de abril.    "Peço a compreensão de todos. Foi uma decisão difícil, mas até as experiências no mundo mostram que a medida que tem dado resultado é o isolamento social. O prefeito de Milão veio a público pedir desculpa, após o movimento #milaonãopara. Nós temos médicos especialistas, e baseado na ciência que tomamos a decisão para salvar vidas em primeiro lugar", afirmou Belinati.  


Buzinaço pede reabertura do comércio em Londrina
Gustavo Carneiro / Grupo Folha
 


O ato começou com a concentração de motoristas em frente ao Estádio do Café, na zona norte e seguiu pelas avenidas centrais até a Duque de Caxias próximo ao prédio da Prefeitura. Entretanto, a carreata foi impedida de entrar no estacionamento do Centro Cívico porque foi montada uma barreira por agentes da Guarda Municipal e da CMTU (Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização). Alguns carros ainda percorrem a região do Lago Igapó e da Gleba Palhano. A Polícia Militar não fez estimativa de quantidade de carros no buzinaço e não precisou intervir já que o protesto foi pacífico.


LEIA MAIS:


Porecatu adota barreira sanitária para 'segurar' Covid-19




Prefeito confirma seis casos de coronavírus em Londrina e oito crianças internadas com suspeita


Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo