|
  • Bitcoin 121.481
  • Dólar 5,0538
  • Euro 5,2302
Londrina

Cidades

m de leitura Atualizado em 27/06/2022, 13:43

Estado deve autorizar retomada de obra do CEEP Londrina nesta terça

Ordem de serviço será assinada mais de quatro meses depois de licitação ter sido homologada; unidade de Ibiporã terá novo edital

PUBLICAÇÃO
segunda-feira, 27 de junho de 2022

Pedro Marconi - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

Foto: Pedro Marconi - Grupo Folha
menu flutuante

Mais de quatro meses após o Governo do Estado homologar o processo licitatório para retomar e finalizar as obras do CEEP (Centro Estadual de Educação Profissional) da zona norte de Londrina, a estrutura está igual aos últimos sete anos: completamente abandonada. No primeiro bimestre deste ano a prefeitura e o governo disseram que uma empresa de Cascavel (Oeste) havia vencido o edital, com investimento de R$ 15,1 milhões.  

No entanto, moradores do conjunto Aquiles Stenghel relatam não ter observado movimentação de operários desde o anúncio, o que foi confirmado pela reportagem na manhã desta segunda-feira (27). “Isso é um ‘elefante branco’. Não tenho nenhuma esperança de terminarem. Dá dó porque é um terreno grande, que poderia trazer benefício para os jovens, mas está largado e só com mato e restos de concreto”, lamentou a dona de casa Lucilene Garcia Campos. 

Lixo tem sido despejado irregularmente na obra parada do CEEP, na zona norte de Londrina Lixo tem sido despejado irregularmente na obra parada do CEEP, na zona norte de Londrina
Lixo tem sido despejado irregularmente na obra parada do CEEP, na zona norte de Londrina |  Foto: Pedro Marconi - Grupo Folha
 

A área - na rua Guilhermina Lahman - tem cerca de 12 mil metros quadrados e foi doada para o Estado em 2009, com o projeto de lei aprovado na Câmara de Vereadores. O CEEP começou a ser construído em 2013, mas menos de dois anos depois a empreiteira responsável abandonou os trabalhos com apenas 19% de execução, em meio às denúncias da Operação Quadro Negro, que apurou o desvio de verbas estatual que seriam para a educação. 

LEIA TAMBÉM:

Pesquisadores da UEL investigam os impactos da pandemia na educação

Obras de revitalização do Zerão começam nesta segunda

Caso estivesse pronto, o centro teria capacidade para atender até 900 estudantes com cursos técnicos a partir da demanda da cidade e da região. A proposta é de 6,5 mil metros quadrados de edificação, com 12 salas de aula, área administrativa, cozinha, refeitório, biblioteca, banheiros e ginásio coberto. Atualmente, o lugar acumula mato, que foi cortado recentemente, paredes quebradas e despejo irregular de lixo. 

De acordo com o Fundepar (Instituto Paranaense de Desenvolvimento Educacional), a ordem de serviço para início das obras está programada para esta terça-feira (28). 

LICITAÇÃO EM IBIPORà

Em Ibiporã (Região Metropolitana de Londrina), a obra do CEEP, que havia parado em 2014, foi reiniciada em outubro de 2020, com previsão de entrega em agosto do ano passado, ao custo de R$ 7,1 milhões. Entretanto, o prazo não foi cumprido e vizinhos denunciam que trabalhadores não estariam atuando no local há meses. “Faz tempo que não vejo ninguém na obra, que parou mais uma vez. A comunidade ficou animada quando falaram que iam terminar, mas agora é dor de cabeça novamente”, comentou um morador, que preferiu não ter o nome divulgado. 

Serviços do centro profissionalizante de Ibiporã recomeçaram em 2020, porém, pararam novamente Serviços do centro profissionalizante de Ibiporã recomeçaram em 2020, porém, pararam novamente
Serviços do centro profissionalizante de Ibiporã recomeçaram em 2020, porém, pararam novamente |  Foto: Pedro Marconi - Grupo Folha
 

O Centro Estadual de Educação Profissional da cidade tem área total de 6,4 mil metros quadrados e também vai contar com 12 salas de aula, dez laboratórios, cozinha, refeitório, auditório, biblioteca, ginásio de esportes e bloco administrativo. O terreno foi doado pela prefeitura municipal. A capacidade de atendimento será de até 1.200 estudantes. 

Por meio de nota, o Fundepar destacou que a “obra avançou bastante, porém, não houve entendimento com a contratada para prosseguimento dos trabalhos, referentes ao contrato firmado durante a pandemia, e que, em virtude disso, teve entraves”. O contrato está em processo de rescisão e uma nova licitação terá que ser lançada. “As obras devem ser retomadas no segundo semestre de 2022”, prometeu. 

****

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1