|
  • Bitcoin 118.109
  • Dólar 5,2177
  • Euro 5,3453
Londrina

Cidades

m de leitura Atualizado em 27/07/2022, 16:44

CMTU arrecadou R$ 102 milhões com multas em pouco mais de 5 anos

Dinheiro é revertido para ações no trânsito; presidente da companhia destaca mau comportamento de parte dos motoristas

PUBLICAÇÃO
quarta-feira, 27 de julho de 2022

Pedro Marconi - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

Foto: Roberto Custódio - 22/09/2020
menu flutuante

Londrina deve bater em 2022 o recorde dos últimos anos com arrecadação de dinheiro a partir de multas registradas nos radares fixos. Entre janeiro e junho, o município aplicou R$ 13,8 milhões, montante que corresponde a 71% do valor de todo o ano passado. Levando em conta os últimos cinco anos e meio, ou seja, incluindo o primeiro semestre deste ano, a CMTU (Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização) acumula R$ 102,3 milhões em multas. Os números foram obtidos via Lei de Acesso à Informação. 

Para o presidente da companhia, a tendência de aumento na arrecadação é reflexo do comportamento do motorista, o retorno à rotina, após a pior fase da pandemia de Covid-19, e a reativação dos aparelhos. “A multa é uma consequência da ação do motorista, do desrespeito com a legislação. Além disso, ficamos 2020 e 2021 com menos carros nas ruas. A vida está voltando ao normal e, por parte de alguns, a insistência de ilícitos”, avaliou Marcelo Cortez.

LEIA TAMBÉM:

Major Mário Celso Andrade é o novo diretor de trânsito da CMTU

Avenida Jamil Scaff, na zona leste, será revitalizada

O período que menos rendeu multas foi 2020 (R$ 12,9 milhões), época em que foi declarada a pandemia e havia restrição de circulação. A CMTU informou que os recursos provenientes dos radares fixos “são executados exclusivamente em despesas públicas com sinalização, engenharia de tráfego, de campo, policiamento, fiscalização e educação de trânsito, conforme determina o Código de Trânsito Brasileiro.” 

Cortez reforçou que o radar é importante para regulamentar a velocidade em ruas e avenidas e rebateu reclamações sobre os limites em algumas vias da cidade. “Qualquer sinalização, bem como a regulamentação da via e velocidade, é precedida de um estudo, que leva em conta as regras do Contran (Conselho Nacional de Trânsito) e as características da via, se fica perto de comércio, escola”, pontuou.

A cidade tem hoje 65 pontos de fiscalização eletrônica, que voltou a funcionar no ano passado depois da finalização do processo licitatório que contratou uma nova empresa responsável

CONSCIENTIZAÇÃO 

Neste ano, foram lavrados 156.642 autos de infração pelos radares fixos, móveis e talonários eletrônicos. Quase 30 mil foram convertidos em advertência. A Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização destacou que tem apostado em trabalhos de conscientização. “Temos um setor específico de educação dentro da Diretoria de Trânsito. Promovemos cursos para motociclistas, fazemos campanhas, vamos até empresas, damos cursos nas escolas municipais. Tem o curso on-line com professores, em que os preparamos para que possam fazer aulas de educação no trânsito. Existem as blitze educativas”, elencou. 

DIA DO MOTOCICLISTA 

Nesta quarta-feira (24), a CMTU e a GM (Guarda Municipal) fizeram uma ação educativa na rua da Canoagem, região sul, para marcar o Dia do Motociclista. Dezenas de pessoas foram abordadas e receberam orientações sobre pilotagem segura. Aqueles que estavam com a documentação regular e que não receberam multa no último ano ganharam brindes. 

Imagem ilustrativa da imagem CMTU arrecadou R$ 102 milhões com multas em pouco mais de 5 anos Imagem ilustrativa da imagem CMTU arrecadou R$ 102 milhões com multas em pouco mais de 5 anos
|  Foto: Gustavo Carneiro - Grupo Folha
 

CONFIRA OS NÚMEROS:

2017 – R$ 17.642.094,07

2018 – R$ 19.489.535,76

2019 – R$ 19.296.461,29

2020 – R$ 12.967.053,27

2021 – R$ 19.459.517,20

2022 – R$ 13.814.970,52*

*Até junho de 2022

Fonte: CMTU, via Lei de Acesso à Informação

****

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1