|
  • Bitcoin 120.942
  • Dólar 5,0849
  • Euro 5,2378
Londrina

Cidades

m de leitura Atualizado em 13/07/2022, 17:04

Aulas presenciais de ginástica das UBSs retornam em Londrina

Encontros semanais são abertos à população; prática vinha sendo substituída por aulas e orientações online no auge da pandemia

PUBLICAÇÃO
quarta-feira, 13 de julho de 2022

Micaela Orikasa - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

Foto: Micaela Orikasa - Grupo Folha
menu flutuante

Após um longo período sem os encontros presenciais, os grupos de atividades vinculados às UBSs (Unidades Básicas de Saúde) de Londrina retornaram com as aulas presenciais. Os encontros, conduzidos por profissionais que integram o Nasf (Núcleo Ampliado de Saúde da Família), acontecem semanalmente e têm atraído muitas pessoas, especialmente mulheres, que tiveram a vida social e a prática de exercícios físicos comprometidas com a pandemia do coronavírus.  

Nos últimos dois anos, os grupos de convivência do Nasf mantiveram as atividades e orientações de forma on-line. As aulas de continuam sendo transmitidas no canal do YouTube Exercício & Saúde, da Prefeitura Municipal. As transmissões ocorrem todas as terças-feiras, das 9h às 10h, e contam com a participação de aproximadamente 400 alunos a cada semana, segundo o profissional de Educação Física, Geder Harami.

As aulas de alongamento, fortalecimento e ginástica estão entre as  mais numerosas. No grupo de abrangência da UBS do Jardim Tókio, na zona oeste, a turma retornou há cerca de dois meses nas atividades presenciais com 25 alunos e hoje já conta com 58 participantes, a maioria acima de 50 anos.  

As aulas no Jardim Tókio acontecem no ginásio da praça central do bairro, toda segunda, quarta e quinta, a partir das 7h30, e a maioria dos alunos, segundo o professor, tem alguma queixa relacionada à artrose, artrite e lombalgia.

Neide de Fátima, 61, usava um colete de correção e só conseguia andar com apoio devido a um problema no nervo ciático. “Eu nem saía muito de casa para não correr risco de cair, me machucar. Com a rotina de exercícios me sinto leve, disposta, segura para caminhar sem apoio, consigo subir escadas e carregar uma compra de supermercado. O segredo da qualidade de vida está nas atividades físicas e na saúde mental. Vejo tantos idosos parados e decidi que não quero isso para mim. Quero me manter ativa”, afirma.  

Imagem ilustrativa da imagem Aulas presenciais de ginástica das UBSs retornam em Londrina Imagem ilustrativa da imagem Aulas presenciais de ginástica das UBSs retornam em Londrina
|  Foto: Micaela Orikasa - Grupo Folha
 

LEIA TAMBÉM: 

+ Treinamento de força muscular para envelhecer com qualidade de vida

ÂNIMO

A vendedora Sueli Aparecida V. Venci, 58, está no grupo há 11 anos e conta que só foi despertada para a necessidade de manter o corpo ativo após ter se submetido a uma cirurgia de hérnia de disco. “Perdi peso, tenho mais ânimo para trabalhar e fazer as tarefas de casa, fiz muitas amizades e tudo isso melhora minha autoestima, tira o estresse, a cabeça fica mais aberta e a gente muda um pouco o jeito de ser, em todos os aspectos. A gente rejuvenesce e o corpo responde bem melhor a todos esses estímulos”, comenta.  

O professor Harami explica que a participação é livre e que a maioria dos participantes relata que o retorno das aulas presenciais trouxe de volta o convívio social. “Muitas alunas relataram que fazia tempo que não conversavam com outras pessoas, não interagiam”, diz.  

“Eu me sinto muito melhor quando participo das aulas porque eu tenho com quem conversar, me divertir. A dor que tenho por conta de uma artrose no joelho desanima, mas só de eu vir para a aula já melhora porque o corpo ganha energia e a cabeça relaxa”, diz Maria Odete Santos, 71.  

Imagem ilustrativa da imagem Aulas presenciais de ginástica das UBSs retornam em Londrina Imagem ilustrativa da imagem Aulas presenciais de ginástica das UBSs retornam em Londrina
|  Foto: Micaela Orikasa - Grupo Folha

  

TESTE E ORIENTAÇÕES

Durante a aula desta quarta-feira (13), um grupo de alunos do curso Técnico de Enfermagem, do IFPR (Instituto Federal do Paraná), aferiu a pressão arterial dos participantes e deu orientações sobre cuidados com a hipertensão e, quando necessário, recomendou uma avaliação médica em uma UBS. A participação dos estudantes faz parte do estágio que a Instituição tem em parceria com o município, por meio da rede de saúde.  

A fisioterapeuta e coordenadora do Nasf e da ESF (Estratégia Saúde da Família), Kátia Santos de Oliveira, comenta que a principal proposta de trabalho são as atividades coletivas, mas que “também são ofertados atendimentos individuais em alguns casos que a ESF ou o próprio profissional identificar como necessário. "E esse trabalho desenvolvido engloba desde ações de promoção e proteção da saúde, prevenção de agravos, diagnóstico e tratamento, até a reabilitação e a manutenção da saúde”, detalha. 

Imagem ilustrativa da imagem Aulas presenciais de ginástica das UBSs retornam em Londrina Imagem ilustrativa da imagem Aulas presenciais de ginástica das UBSs retornam em Londrina
|  Foto: Divulgação/N.Com
 

OUTRAS ATIVIDADES 

Além das atividades físicas, há grupos de fisioterapia, dança, auriculoterapia, memória, apoio a usuários com dores crônicas, apoio psicológico, puericultura, entre outros. Para participar é necessário passar por uma avaliação prévia em uma UBS.

Em Londrina, as 54 UBSs contam com 10 equipes do Nasf, entre profissionais de Educação Física, farmacêuticos, fisioterapeutas, nutricionistas e psicólogos, atuando na área urbana junto com duas equipes da Residência Multiprofissional em Saúde da Família, da UEL (Universidade Estadual de Londrina). Há ainda uma equipe própria para atendimentos nos distritos e patrimônios rurais. (Com N.Com) 

SERVIÇO -  Acesse a página da secretaria municipal de Saúde para conferir a UBS mais próxima da residência

*** 

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1