|
  • Bitcoin 151.516
  • Dólar 5,0617
  • Euro 5,2708
Londrina

Opinião

m de leitura Atualizado em 03/05/2022, 19:39

EDITORIAL - Fim do prazo para tirar o título de eleitor

Chamou a atenção das autoridades a baixa adesão das pessoas com 16 e 17 anos para fazerem o título de eleitor

PUBLICAÇÃO
quarta-feira, 04 de maio de 2022

Folha de Londrina
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

O prazo para o cidadão tirar o título de eleitor, fazer alterações cadastrais e regularizar pendências termina nesta quarta-feira (4). Depois desse período, não será mais possível fazer qualquer dessas medidas visando as eleições de 2 de outubro de 2022. 

As unidades da Justiça Eleitoral em todo o Brasil deverão experimentar um dia de muita procura nesta quarta-feira. Mas o melhor é que algumas ações podem ser feitas pelo site do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), entre elas tirar o título de eleitor sem sair de casa, usando um computador, um tablet ou até mesmo um smartphone. 

Número de jovens eleitores em Londrina cai 25% em uma década 

A partir de quinta-feira (5), o cadastro eleitoral será fechado para estabilização, como explica a Justiça Eleitoral. É a partir daí que o TSE inicia os procedimentos de auditoria, de confecção dos cadernos de votação e de geração de arquivos de eleitores para as urnas. 

Quando os eleitores forem às urnas no dia 2 de outubro, eles votarão para presidente da República, governador, senador, deputado federal e deputado estadual ou distrital. No dia 30 de outubro, acontece o segundo turno apenas para os cargos de presidente e governador, se for necessário. A votação será realizada em todas as cidades do país, os brasileiros que vivem no exterior também podem votar, neste caso, só para presidente.

No Brasil, o voto é obrigatório para o cidadão com idade entre 18 e 70 anos. E facultativo para os jovens com 16 e 17 anos e para as pessoas com mais de 70 anos. 

Chamou a atenção das autoridades a baixa adesão das pessoas com 16 e 17 anos para fazerem o título de eleitor. Enquanto em fevereiro de 2014 eram mais de 1,8 milhão; no mesmo mês de 2018, 1,4 milhão; em fevereiro de 2022, eram pouco mais de 800 mil.

Em março, o TSE realizou uma campanha para conscientizar quem ainda não completou a maioridade sobre a importância do primeiro voto. Artistas, políticos e influenciadores digitais também convocaram os jovens para fazerem o título.  

Segundo o TSE, o incentivo funcionou: somente em dois dias, por exemplo, em 24 e 25 de março, foram emitidos mais de 90 mil novos títulos para o eleitorado jovem. Naquele mês, o país ganhou mais 445.553 novos eleitores entre 15 e 18 anos. 

O desinteresse dos jovens pela política vale um estudo mais aprofundado. É bastante preocupante este distanciamento, porque eles estão deixando de entender e utilizar o voto como instrumento de mudança política e social. 

As eleições são um dos raros momentos em que todos os indivíduos se igualam com poder de decisão, pois não há diferença de sexo, condição financeira, classe social, raça. O valor do voto é o mesmo para todos. 

Obrigado por ler a FOLHA!

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.