|
  • Bitcoin 124.790
  • Dólar 5,1592
  • Euro 5,3248
Londrina

Geral

m de leitura Atualizado em 04/07/2022, 17:57

TJPR mantém pena de 9 anos por estupro de vulnerável em Carlópolis

Em outro processo, ele já havia sido condenado a cinco anos e dez meses de reclusão por filmar cenas com crianças e por armazenar os vídeo.

PUBLICAÇÃO
segunda-feira, 04 de julho de 2022

Reportagem local
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

Em julgamento de recurso da defesa, o TJPR (Tribunal de Justiça do Paraná) manteve a pena de nove anos e quatro meses de reclusão em regime inicial fechado aplicada a um homem denunciado pelo Ministério Público do Paraná por estupro de vulnerável em Carlópolis, no Norte Pioneiro.

Conforme a denúncia, apresentada em outubro de 2021 pela Promotoria de Justiça da comarca, o réu, que trabalhava na cidade como DJ (disc jockey), tinha vídeos gravados por ele no celular e diversos outros armazenados no computador, com imagens de conteúdo erótico envolvendo crianças. A condenação em primeira instância – mantida pelo TJPR no julgamento do recurso – deu-se no dia 15 de fevereiro. O réu já estava preso preventivamente e teve a prisão mantida.

.O réu tinha vídeos gravados por ele no celular e diversos outros armazenados no computador, com imagens de conteúdo erótico envolvendo crianças. .O réu tinha vídeos gravados por ele no celular e diversos outros armazenados no computador, com imagens de conteúdo erótico envolvendo crianças.
.O réu tinha vídeos gravados por ele no celular e diversos outros armazenados no computador, com imagens de conteúdo erótico envolvendo crianças. |  Foto: iStock
 

Em outro processo, ele já havia sido condenado a cinco anos e dez meses de reclusão por filmar cenas com crianças e por armazenar os vídeos (crimes previstos nos artigos 240 e 241-B do Estatuto da Criança e do Adolescente). Os delitos que levaram à condenação do réu foram levados à autoridade policial por sua então convivente, que encontrou os vídeos no celular do companheiro e informou o fato à polícia.

LEIA TAMBÉM:

+ Dono do Salão Coroados morre em Londrina aos 83 anos

+ Potencial de consumo em Londrina cresce 23% em 2022

Denúncias

Tendo em vista a possibilidade de haver várias outras vítimas do mesmo réu, ainda não identificadas, a Promotoria de Justiça de Carlópolis se coloca à disposição para receber informações de possíveis casos de violência relacionados a essa situação. Os contatos são o telefone (43) 3566-1878 e o e-mail [email protected]

Casos de outras cidades podem ser noticiados pelo Disque 100 (inclusive anonimamente), comunicados à autoridade policial ou ainda levados ao Ministério Público do Paraná nas diferentes comarcas do estado (todos os contatos podem ser encontrados no site do MPPR). (Com informações do MPPR)

Receba nossas notícias direto no seu celular. Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.