|
  • Bitcoin 108.200
  • Dólar 5,2387
  • Euro 5,5420
Londrina

Geral

m de leitura Atualizado em 23/01/2022, 17:52

HU de Londrina irá reativar 40 leitos para pacientes com Covid-19

Sesa prevê a abertura de pelo menos 485 vagas até fim do mês no Paraná devido ao aumento de casos de síndromes respiratórias

PUBLICAÇÃO
sexta-feira, 21 de janeiro de 2022

Vitor Ogawa - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

O HURNP (Hospital Universitário Regional do Norte do Paraná), em Londrina, irá reativar 40 leitos de enfermaria para atender a demanda de pacientes infectados pelo coronavírus. Segundo a superintendente do HU de Londrina, Vivian Feijó, o hospital já saltou de 51 para 76 leitos. "E semana que vem vamos para 91, ou seja, no dia 18 deste mês já ativei 25 e semana que vem serão mais 15", declarou Feijó. No fim de 2021 o HU havia anunciado a redução de leitos de UTI por causa da redução de óbitos e também de casos de Covid-19.

Nos próximos dias será a vez do Hospital Santa Casa de Irati (12 leitos), Hospital Universitário de Ponta Grossa (9 leitos) e Hospital Universitário de Maringá (10 leitos). A Secretaria Estadual da Saúde iniciou o processo na sexta-feira (21) e até ao final do mês está prevista a abertura de pelo menos 485 vagas.

HU de Londrina irá reativar 40 leitos de enfermaria para receber novos pacientes para atender a demanda de pacientes infectados pelo coronavírus. HU de Londrina irá reativar 40 leitos de enfermaria para receber novos pacientes para atender a demanda de pacientes infectados pelo coronavírus.
HU de Londrina irá reativar 40 leitos de enfermaria para receber novos pacientes para atender a demanda de pacientes infectados pelo coronavírus. |  Foto: Vítor Ogawa/Grupo Folha
 

+ Alta no preço de medicamentos e insumos chega até 150% em hospitais

MIL LEITOS DISPONÍVEIS

“Aproximadamente mil leitos estarão disponíveis para atender a demanda. No momento, não haverá abertura de leitos UTI (Unidade de Terapia Intensiva), mas estamos monitorando tanto a situação no avanço dos casos de Covid-19 como a epidemia de gripe. Conforme a necessidade, faremos as mudanças necessárias para atender a população”, disse o diretor de Gestão em Saúde, Vinícius Augusto Filipak.

A decisão foi tomada por conta do aparecimento da nova variante Ômicron e o aumento no número de casos de Covid-19 e também de influenza (H3N2) desde o início do ano. A capacidade de internamentos praticamente será dobrada, passando dos atuais 515 para 1.000 leitos enfermaria, um aumento de mais de 94%. De acordo com o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, nas últimas semanas, a Central de Regulação de Leitos apresentou uma alta na taxa de ocupação.

"Ao longo desses meses, com a redução da demanda e para atender outros casos, desativamos vários leitos, já que os internamentos haviam chegado a um número baixo. Mas nesses últimos 15 dias vimos os casos da Covid-19 dispararem e não queremos ninguém desassistido”, afirmou.

LEIA TAMBÉM:

+ Londrina libera vacina para crianças de dez anos

+ Paraná tem 298 cidades sem mortes por Covid-19 há dois meses

NOVOS CASOS

Desde o início de 2022 foram registrados 167.278 novos casos pela Covid-19. No final do ano passado, o número não ultrapassou 9,4 mil.

A última vez que o Paraná teve registro de mais de 100 mil pessoas infectadas pelo vírus SARS-CoV-2 foi em junho do ano passado, contabilizando 162.523 casos. O número de pessoas com a infecção da H3N2 (um tipo do vírus Influenza A) já chegou a 1.516. Foram registrados 48 óbitos. (Com AEN)

Receba nossas notícias direto no seu celular. Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.