Prova em branco e fuga ao tema, principais motivos de nota zero na redação

Inep lista cinco competências para a prova da redação, que é a única em que o candidato começa já com mil pontos; Desconto na nota ocorre a partir de uma hierarquia de situações

Edson Neves/Especial para a FOLHA
Edson Neves/Especial para a FOLHA

Dos pouco mais de 2,7 milhões de candidatos que fizeram a redação impressa do Enem 2020, 87.567 deles - o que equivale a 3,22% do total - tiraram nota zero. Entre as principais razões listadas pela banca examinadora está redação em branco (1,12%); fuga ao tema (0,93%); cópia do texto motivador (0,46%); texto insuficiente (0,19%); e não atendimento ao tipo textual; parte desconectada (ofensas, zombarias, mensagens que fogem da proposta) e "outros motivos" com 0,17% cada.


Para a redação, o mínimo que se pede pelo Enem é um texto legível, escrito em língua portuguesa, com mais de sete linhas e no máximo 30, e que não seja uma cópia da prova de redação e/ou do caderno de questões, escrito no modelo dissertativo-argumentativo, já tradicional no exame.


De acordo com o Inep, a nota média na redação foi de 588,74 pontos, sendo o único caderno em que o candidato começa já com os mil pontos, existindo uma espécie de "hierarquia" para definir os critérios de desconto de nota. Com base nos editais do Enem, a sequência de desconto seria "Formas Elementares de Anulação", "Cópia", "Fuga ao Tema", "Não Atendimento ao Tipo Textual" e "Parte Desconectada".

Entre as competências da redação são cinco as listadas pelo edital da prova: " I - Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da Língua Portuguesa; II - Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa; III - Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista; IV - Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação; e V - Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos".

Para o professor do Colégio Marista de Londrina, Nilson Douglas Castilho, a falta de alguma dessas competências causa a nota zero. "Não é colocar a culpa na prova, até porque o Enem mantém a mesma fórmula. Pode ser falta de atenção, nervosismo. Mas também revela que o aluno não desenvolveu a habilidade necessária para a redação", explicou.


Além disso, segundo ele, as competências IV e V da redação são as que mais têm peso sobre o desconto de nota. "Mostra que o candidato não conseguiu compreender o que foi pedido. Se ele não traz o ponto de vista, ele não argumenta. Se ele não argumenta, não traz uma proposta de intervenção. A redação fica sem sua parte mais importante". Castilho lembra que a intervenção não é uma solução. "É uma forma de chegar até ele (problema) e amenizá-lo", completou. Na outra ponta, 28 candidatos tiraram nota mil, número que caiu drasticamente: em 2019, foram 53 notas mil, e na de 2018, 55 mil. O baixo índice de desempenhos máximos na redação reflete também a alta abstenção de 55,3% na prova impressa.


Veja também: Folha Enem/ Caderno 5 - Linguagens - Veja as questões selecionadas pelos professores do Colégio Marista


Receba nossas notícias direto no seu celular, envie, também, suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.


Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo