|
  • Bitcoin 145.360
  • Dólar 4,8196
  • Euro 5,1599
Londrina

Pressão

m de leitura Atualizado em 06/05/2022, 06:53

Na ZR, Londrina vive momento mais turbulento do ano

Início ruim na Série B gera cobranças da torcida em cima de jogadores, que reclamam de salários atrasados no clube; gestor nega

PUBLICAÇÃO
sexta-feira, 06 de maio de 2022

Lucio Flávio Cruz - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

Foto: Ricardo Chicarelli/LEC
menu flutuante

Além das deficiências técnicas e da pouca produção, o Tubarão terá que superar problemas extracampo para se reabilitar na Série B e nadar em águas mais calmas. No momento mais turbulento da temporada, o Londrina convive com cobranças da torcida e reclamação de jogadores por salários atrasados. 

Com contrato publicado no BID, o meia Gegê já pode estrear no Londrina no próximo jogo contra o Brusque Com contrato publicado no BID, o meia Gegê já pode estrear no Londrina no próximo jogo contra o Brusque
Com contrato publicado no BID, o meia Gegê já pode estrear no Londrina no próximo jogo contra o Brusque |  Foto: Ricardo Chicarelli/LEC
  

A goleada sofrida para o Bahia e a vitória do Novorizontino sobre o CRB por 3 a 1 - o jogo adiado da primeira rodada foi disputado na noite de terça-feira (4) no interior paulista - levaram o LEC pela primeira vez para a zona do rebaixamento no Brasileiro. Com cinco pontos, o Alviceleste é o 17º. No ano passado, o Tubarão havia entrado na ZR na 11ª rodada. 

Leia também

LEC repete início ruim de 2021 na série B e ZR já assombra

Cobrados pela torcida, jogadores do LEC falam em salários atrasados

A sequência de cinco partidas sem vencer - dois empates e três derrotas - levou um grupo de torcedores organizados a protestar no aeroporto no desembarque da delegação de Salvador, na noite de quarta-feira (5). Houve uma conversa entre o grupo e o elenco e a cobrança por melhor desempenho e mais dedicação foi grande. No diálogo, no saguão do aeroporto, os jogadores reclamaram dos salários atrasados.

Em entrevista à rádio Paiquerê 91,7 na quarta, o gestão Sérgio Malucelli negou que há salários atrasados e garantiu que os vencimentos foram quitados no início da semana, antes do jogo na Fonte Nova. "Está tudo em dia", afirmou. O dirigente relatou ainda que chegou a oferecer uma premiação de R$ 50 mil, em caso de vitória na Bahia. 

O Londrina convive com salários atrasados desde 2020, sobretudo após o início da pandemia. O próprio gestor já reconheceu as dificuldades financeiras nos últimos dois anos. Em relação aos salários atuais, o clube ainda não quitou os vencimentos do mês de março, que de acordo com a política estabelecida pelo LEC deveriam ser pagos até o dia 23 de abril. A CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas) estipula que os salários sejam pagos até o quinto dia útil do mês seguinte. 

Em campo, o técnico Adilson Batista também convive com problemas para definir o time visando o confronto com o Brusque, no dia 14, no estádio do Café. O centroavante Gabriel Santos, artilheiro alviceleste na Série B, com dois gols, está suspenso. O lateral Samuel Santos e o volante Jhonny Lucas, que já foram desfalques em Salvador, seguem no departamento médico se recuperando de lesões musculares. 

Imagem ilustrativa da imagem Na ZR, Londrina vive momento mais turbulento do ano Imagem ilustrativa da imagem Na ZR, Londrina vive momento mais turbulento do ano
|  Foto: Gustavo Pereira Padial
 

Saída

O Londrina rescindiu o contrato do lateral Léo, que não foi relacionado em nenhuma partida da Série B. O jogador foi apresentado como reforço antes do início da competição, mas não chegou a ser utilizado pelo técnico Adilson Batista. O lateral vai disputar a Série D pelo Azuriz. 

Quem também está de saída para o time de Pato Branco é o zagueiro Zé Pedro. Aos 22 anos, a revelação da base alviceleste vai por empréstimo para a equipe do sudoeste. Zé Pedro atuou em 17 partidas pelo LEC. 

Receba nossas notícias direto no seu celular, envie, também, suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link