|
  • Bitcoin 151.337
  • Dólar 5,0617
  • Euro 5,2630
Londrina

Reforços

m de leitura Atualizado em 22/03/2022, 07:19

Londrina prioriza qualificar o ataque para a Série B

Dos reforços apalavrados até aqui, dois são meias e outros dois são atacantes; Serão três semanas de preparação até a estreia no Brasileiro

PUBLICAÇÃO
terça-feira, 22 de março de 2022

Lucio Flávio Cruz - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

Foto: Ricardo Chicarelli/LEC
menu flutuante

A eliminação nas quartas de final do Campeonato Paranaense frustrou alguns objetivos do Londrina na temporada. Além de ficar fora da briga pelo bicampeonato, o clube perdeu a chance de garantir de forma antecipada a vaga na Copa do Brasil do ano que vem. 

Por outro lado, o técnico Adilson Batista ganha mais tempo para preparar a equipe visando o início da Série B. Serão quase três semanas de trabalho até a estreia diante do Náutico, no dia 9 de abril. 

Com apenas 15 dias à frente do comando alviceleste, o treinador conseguiu organizar melhor o sistema defensivo, que teve bom desempenho na Arena da Baixada, apesar da derrota nos pênaltis. No entanto, ficaram visíveis as poucas opções de ataque que existem no elenco. A baixa qualidade demonstrada pelos atacantes nestes primeiros meses do ano se evidenciou nos dois duelos diante do rubro-negro. 

Faltam poder de criação ao time e força ofensiva. Adilson Batista reconheceu esta realidade e ressaltou que na Série B o Londrina precisará ser propositivo também e não apenas se defender.

"Na Série B, muitas vezes teremos que propor o jogo, sair um pouco mais diante de adversários também tradicionais. Claro que queremos jogadores que tenham mais qualidade, mas com a intensidade e a dinâmica que o jogo hoje pede", frisou. "Precisamos trabalhar para no momento em que tivermos em dificuldade no jogo termos uma saída mais qualificada e isso é o meu objetivo também". 

Em termos ofensivos, até agora para a Série B, o LEC oficializou a chegada do atacante Gabriel Santos e tem apalavrado acordos com os meias Cabralzinho, que vem do Ceilândia (DF), e Gabriel Honório, do São-Joseense, além do atacante Alisson Tadei, que também jogou o Paranaense pelo time de São José dos Pinhais. 

Copa do Brasil

Como não chegou à semifinal do Paranaense, o Londrina não se garantiu pelo Estadual na Copa do Brasil de 2023. As vagas do Paraná via Estadual são de Athletico, Coritiba, Operário e Maringá. O Tubarão busca agora um espaço na competição nacional por meio do ranking de clubes da CBF, que será atualizado no final da temporada. Dez equipes entram na Copa do Brasil pelo ranking. 

Outra forma de se classificar é se Athletico ou Coritiba garantir vaga, via Série A, para a Libertadores de 2023 ou se o rubro-negro for campeão da Libertadores ou  da Sul-Americana neste ano. Neste caso, abriria uma vaga do Paranaense para o quinto colocado na edição deste ano, que é justamente o Londrina. 

Repercussão

O nome do Londrina ganhou destaque no fim de semana após uma entrevista do milionário John Textor, novo proprietário do Botafogo. Perguntado se estaria adquirindo o clube carioca para ganhar dinheiro ou títulos, o americano frisou que a meta é ser campeão: "Se eu não quisesse ganhar campeonato e consequentemente dinheiro eu teria comprado o Londrina", afirmou em entrevista à CNN. 

Em nota, o LEC considerou a declaração infeliz e convidou o empresário a conhecer o clube e a cidade. "No passado recente, recebemos a consulta por uma pessoa ligada a ele que haveria interesse do mesmo em adquirir um time de Série B. Acredito que por isso citou o nome do Londrina", declarou o presidente Felipe Prochet. "E ele está convidado a conhecer o LEC e deixamos o recado para quem quiser investir no Londrina, não adianta vir com projeto meia boca, nosso objetivo é buscar um parceiro que almeja títulos e, no mínimo, a Série A".

Receba nossas notícias direto no seu celular, envie, também, suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link