|
  • Bitcoin 202.525
  • Dólar 5,4880
  • Euro 6,1921
Londrina

Mito 5m de leitura Atualizado em 26/12/2021, 15:13 assinante

Celsinho encerra seu ciclo no LEC e pode voltar como dirigente

Meia teve quatro passagens pelo Tubarão e vai jogar a série A2 do Campeonato Paulista em 2022

PUBLICAÇÃO
sexta-feira, 24 de dezembro de 2021

Lucio Flávio Cruz - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

O meia Celsinho encerrou o seu ciclo no Londrina ao final da série B, já que não teve o seu contrato renovado para 2022. Após a sua quarta passagem pelo Alviceleste, esta parece ser realmente a última do jogador de 33 anos e que sempre despertou amor e ódio no torcedor londrinense. 

Celsinho protesta contra o racismo após marcar um gol conta o Coritiba pela série B
Celsinho protesta contra o racismo após marcar um gol conta o Coritiba pela série B |  Foto: Ricardo Chicarelli/LEC
 

Com a confirmação de que não continuaria no LEC na próxima temporada, Celsinho foi anunciado esta semana como reforço do Lemense e vai disputar a série A2 do Campeonato Paulista. 

Leia mais sobre o LEC

Celsinho chegou ao Londrina em 2013 e, entre idas e vindas, ficou até 2017. Retornou durante a série C de 2020 e ajudou o clube a voltar para a série B. Este ano foi campeão paranaense e esteve no elenco que manteve o Tubarão na segunda divisão nacional. Em 2021, atuou em 26 partidas - oito como titular - e marcou um gol. 

Com a camisa alviceleste, Celsinho ainda foi campeão estadual em 2014 e da Copa da Primeira Liga em 2017. Ao longo das quatro passagens, o meia disputou 146 jogos e marcou 24 gols no Tubarão. 

Celsinho comemora a permanência do LEC na série B após o jogo com o Vasco, sua última partida com a camisa alviceleste
Celsinho comemora a permanência do LEC na série B após o jogo com o Vasco, sua última partida com a camisa alviceleste |  Foto: Ricardo Chicarelli/LEC
 

"A trajetória do Celsinho como jogador do Londrina se encerrou. Mas ele pode voltar no futuro, quando se aposentar, para trabalhar no clube. Já conversamos algumas vezes sobre isso e vejo com bons olhos", afirmou o gestor Sérgio Malucelli, em recente entrevista à rádio Paiquerê 91,7. 

Racismo

Durante a disputa da série B deste ano, Celsinho foi vítima de racismo em três oportunidades. Nas duas primeiras, em jogos contra o Goiás e o Paysandu, foi ofendido com xingamentos preconceituosos por profissionais de rádios de Goiânia e Belém durante a transmissão das partidas. Os casos foram levados para as esferas cível e criminal. 

No confronto contra o Brusque, em agosto, Celsinho foi novamente vítima de racismo por parte de um dirigente do clube catarinense, que estava na arquibancada do estádio Augusto Bauer. O caso foi repassado ao árbitro do jogo, que relatou na súmula os xingamentos "vai cortar este cabelo, seu cachopa de abelha". 

O Brusque chegou a ser punido com a perda de três pontos na competição em julgamento no STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), mas recuperou a pontuação com um recurso no Pleno. E foi punido apenas com a perda de um mando de campo e multa de R$ 60 mil. 

Identificado como autor da declaração racista, Júlio Antônio Petermann, presidente do Conselho Deliberativo do Brusque, foi suspenso pelo STJD por 360 dias, além de uma multa de R$ 30 mil. 

Receba nossas notícias direto no seu celular, envie, também, suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link

instagram

ÚLTIMOS POSTS NO INSTAGRAM