|
  • Bitcoin 103.092
  • Dólar 5,3317
  • Euro 5,5605
Londrina

Londrina Esporte Clube

m de leitura Atualizado em 20/06/2022, 06:25

Apesar de revés, LEC prega mesma pegada para encarar o Guarani

Adilson Batista elogia comportamento do time na derrota para o Vasco, a primeira do Londrina como mandante na Série B

PUBLICAÇÃO
domingo, 19 de junho de 2022

Pedro Marconi - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

Foto: Ricardo Chicarelli
menu flutuante

O Londrina inicia a semana ainda tentando digerir a derrota por 1 a 0 para o Vasco, no sábado (18), no estádio do Café. O LEC jogou melhor a maior parte da partida e pressionou o adversário, que aproveitou uma bobeira da zaga para liquidar a fatura. Apesar do resultado negativo – que colocou fim a uma sequência de seis jogos sem perder em casa –, o técnico Adilson Batista preferiu valorizar a postura da equipe, que não esmoreceu e tentou igualar, já pensando nos próximos desafios da Série B do Brasileiro.

Imagem ilustrativa da imagem Apesar de revés, LEC prega mesma pegada para encarar o Guarani Imagem ilustrativa da imagem Apesar de revés, LEC prega mesma pegada para encarar o Guarani
|  Foto: Ricardo Chicarelli
 

“A gente tem que vivenciar jogo a jogo. Cada adversário tem seu comportamento. Evidentemente que algumas equipes têm alguns atletas com qualidade diferenciada. Importante encarar todos os jogos como se fossem decisão. São os mesmos três pontos”, destacou. O Tubarão enfrenta na 13ª rodada o Guarani, sexta-feira (24), a partir das 19h, também no Café.

O resultado do fim de semana fez que com que o Londrina perdesse uma posição na tabela. A equipe, que tem um jogo a menos, agora figura na 11ª colocação com 15 pontos, apenas dois a mais que o primeiro clube na zona de rebaixamento, Náutico, e a seis do G4. Já o próximo adversário está na área do descenso, com 13 pontos, em 18º lugar, e tem somente uma vitória nas últimas cinco rodadas.

Na avaliação do comandante alviceleste, o Londrina vai para o confronto com confiança renovada. “Estou orgulhoso do comportamento, da atitude, da personalidade, do coletivo, todo mundo entrou ligado”, elencou. “A Série B tem seu estilo próprio e vejo um nivelamento (entre os times)”, opinou.

image description image description
image description |  Foto: Gustavo Pereira Padial
 

DESFALQUES E RETORNOS

Para o duelo com o Bugre o treinador não poderá contar com o zagueiro e capitão Saimon, que levou o terceiro cartão amarelo e terá que cumprir suspensão automática. Mesma situação do meia Marcinho, que entrou no fim de semana no lugar de Gabriel Santos. Em compensação, Adilson terá o retorno do volante João Paulo e do próprio Gabriel Santos.

Quem está garantido no duelo é o atacante Caprini, que foi um dos destaques no revés para o Vasco. “Dentro de casa tem que pontuar, tem que ser forte. A gente vem fazendo isso muito bem, apesar da derrota. O resultado foi injusto pelas oportunidades que criamos. Agora é focar no Guarani que temos que fazer um jogo muito bom”, projetou.

HISTÓRICO

O atleta, inclusive, tem a receita para o LEC não sofrer igual o ano passado, quando se livrou do rebaixamento para a terceira divisão nacional somente na última rodada, contra o mesmo Vasco. Foi 3 a 0 dentro de casa. “Se continuar assim, jogando bem dentro de casa e buscando o resultado fora, vamos buscar algo a mais no campeonato”, sentenciou. O Tubarão tem aproveitamento de 57% dentro de seus domínios.

Londrina e Guarani já se enfrentaram 11 vezes na história, com seis vitórias dos paulistas, quatro do Alviceleste e um empate.

Torcedores esperam reforços na janela do meio do ano

O estádio do Café recebeu neste fim de semana o maior público do ano. Pouco mais de sete mil pessoas foram ao palco esportivo incentivar o Londrina, o que aconteceu mesmo com o revés. A equipe saiu de campo aplaudida pela entrega durante os 90 minutos de bola rolando. Entre os torcedores, o sentimento é de esperança por reforços para a sequência da temporada. 

A janela abre em julho e vai até agosto. “Acredito que precisávamos de mais um meia bom de criação e um atacante que fosse mais certeiro. Temos perdido muitos gols por conta de falta de capricho no último lance”, avaliou o professor aposentado Donizete Barbosa. “Temos um bom técnico, mas o elenco deixa muito a desejar. Quem se destaca é o Douglas Coutinho e o Caprini. Se não tivermos mais atletas de talento, sinto que podemos lutar para não cair mais um ano”, destacou o mecânico automotivo Alcides Nascimento.

Os torcedores ouvidos pela FOLHA apostam na mudança do clube para SAF (Sociedade Anônima de Futebol), o que injetaria dinheiro na equipe. No domingo (26) vai ser realizada a assembleia geral que vai votar a alteração no estatuto social do clube. Recentemente, o Conselho de Representantes deu sinal verde para a modificação.

LEIA TAMBÉM: Estudo indica que que marca do Londrina vale até R$ 35 milhões

Segundo o gestor do LEC, Sérgio Malucelli, dois investidores já mostraram interesse em adquirir parte do clube, sendo um nacional e outro internacional. As conversas mais avançadas seriam com o empresário brasileiro. “Continuaria como CEO até o final do ano e depois conversaria sobre uma forma de continuar”, afirmou em entrevista à rádio Paiquerê 91,7, depois do apito final entre Londrina e Vasco.

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.