|
  • Bitcoin 102.839
  • Dólar 5,3317
  • Euro 5,5605
Londrina

Cidades

m de leitura Atualizado em 21/06/2022, 12:10

Prefeitura inicia processo de aquisição de bodycams à Guarda Municipal

Equipamentos individuais de filmagem são agregados aos uniformes; Defesa Social pretende adquirir 24 unidades

PUBLICAÇÃO
terça-feira, 21 de junho de 2022

Reportagem local
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

A Secretaria Municipal de Defesa Social deu início ao processo de licitação para aquisição “bodycams“, que são equipamentos individuais de filmagem agregados aos uniformes dos Guardas Municipais de Londrina. A Guarda Municipal já realizou testes com alguns modelos de câmeras.

Imagem ilustrativa da imagem Prefeitura inicia processo de aquisição de bodycams à Guarda Municipal Imagem ilustrativa da imagem Prefeitura inicia processo de aquisição de bodycams à Guarda Municipal
|  Foto: Divulgação - Defesa Social
 

De acordo com secretário de Defesa Social, Pedro Ramos, o dispositivo é importante para a proteção do serviço da GM e vem salvaguardar o serviço prestado pelos guardas municipais. “O processo foi inicializado após fazermos a prova de conceito, que aplicamos em alguns, por um período, dentro do serviço. Isso nos possibilitou observar os aspectos positivos e negativos que essa nova ferramenta, eventualmente, poderia causar na prestação dos serviços”, contou.

No ano passado, o MPPR (Ministério Público do Paraná) expediu recomendação administrativa para implementação do uso de câmeras portáteis e individuais, o que foi aceito pelo Executivo.

LEIA TAMBÉM:

+ Convocação do concurso da GM levará em conta efetivo de mulheres

A  Defesa Social pretende adquirir 24 equipamentos de filmagem e um “dock station“, que é um dispositivo eletrônico que permite expandir a conectividade e adicionar mais portas USB, leitor de cartões de memória e conexão via cabo de rede em computadores. Com isso, a Guarda Municipal poderia armazenar com mais segurança os arquivos gerados durante o serviço.

“Ainda que tenham sido apontados os aspectos positivos e negativos, o que prevaleceu foi a transparência na prestação do serviço da GM, que sempre foi pautado na legalidade e dos protocolos da Secretaria Nacional de Segurança Pública, a Senasp”, reforçou Ramos. (Com informações do N.Com)

****

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1