|
  • Bitcoin 103.514
  • Dólar 5,3317
  • Euro 5,5605
Londrina

Cidades

m de leitura Atualizado em 20/06/2022, 16:03

Praças da Juventude em Londrina viram cenário de vandalismo e abandono

Complexos de lazer e esporte das regiões norte e sul foram inaugurados há menos de dez anos e contabilizam furtos, destruição e ocupações

PUBLICAÇÃO
segunda-feira, 20 de junho de 2022

Pedro Marconi - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

Foto: Pedro Marconi - Grupo Folha
menu flutuante

Construídas em parceria com o Governo Federal para serem complexos de lazer e esporte à comunidade, as Praças da Juventude das regiões Norte e Sul de Londrina se transformaram em cenários de vandalismo, criminalidade e abandono. A primeira – inaugurada em 2014 e que fica ao lado do estádio do Café - é a que apresenta a pior situação. Bastam alguns passos ao lado das pistas de skate para se deparar muro quebrado, caixas de energia arrombadas e fiação furtada. A noite o lugar fica no escuro. 

As salas tiveram os vidros estilhaçados e na manhã desta segunda-feira (20) a reportagem encontrou um morador de rua ocupando o espaço, que acumula muita sujeira. Na estrutura da quadra o estado de destruição se repete. As telas de proteção estão cortadas e os banheiros sem qualquer possibilidade de uso, com pias e sanitários danificados, pichações e lixo. 

Caixas de energia foram quebradas e a fiação levada na zona norte Caixas de energia foram quebradas e a fiação levada na zona norte
Caixas de energia foram quebradas e a fiação levada na zona norte |  Foto: Pedro Marconi - Grupo Folha
 

“Durante o dia dá medo de usar a praça e a noite, então, é impossível. É melhor até passar do outro lado da rua. Não deixo meus filhos virem brincar aqui. É uma área grande, que tem infraestrutura, porém, está mal cuidada, sem segurança e quem perde é a população, que fica privada de utilizar um espaço que é público e que foi feito com o nosso dinheiro”, criticou o autônomo João Paulo Cândido Novaes. 

ZONA SUL

 No outro extremo da cidade o panorama é menos caótico, entretanto, também difícil para os frequentadores. O ponto onde ficam as pistas para skate estão conservadas, mas alguns metros à frente a paisagem é outra, com fios furtados, pichação, vidros quebrados, sujeira e banheiros completamente vandalizados. Na quadra havia uma pessoa dormindo neste início de semana. 

LEIA TAMBÉM:

+ Revitalizado no ano passado, CEU do Santa Rita é alvo de vandalismo

Enfim começam as obras da rotatória da Santos Dumont

A Praça da Juventude da Zona Sul, na avenida Guilherme de Almeida, tem área construída de quase 1.500 metros quadrados e custou cerca de R$ 2 milhões. As obras terminaram em 2013. “Dá dó ver desse jeito. Até tem grade no entorno, mas quem quer roubar entra do mesmo jeito. Lembro quando inaugurou os jovens usavam bastante, era bonito”, relatou a dona de casa Marinete dos Santos. 

Pichações em várias paredes na região sul Pichações em várias paredes na região sul
Pichações em várias paredes na região sul |  Foto: Pedro Marconi - Grupo Folha
  

PROJETO 

Presidente da FEL (Fundação de Esportes de Londrina), Marcelo Oguido afirmou que a pasta tem um amplo projeto de reforma das praças e que deve sair do papel a “médio e longo prazos”. “Estamos vendo caminhos e recursos para colocar em prática a revitalização. Durante a pandemia de Covid-19 tivemos bastante furto e vandalismo. É um espaço importante que temos que resolver.” 

Outro possibilidade é firmar uma cooperação com associações esportivas para cuidarem dos espaços. “Uma opção é fazer permuta e parceria com as entidades, dentro da forma legal, para assumirem ou darem contrapartidas”, comentou. 

Nas duas praças banheiros estão sem condição de uso Nas duas praças banheiros estão sem condição de uso
Nas duas praças banheiros estão sem condição de uso |  Foto: Pedro Marconi - Grupo Folha
 

No ano passado, a prefeitura instalou câmeras de videomonitoramento nos locais, ao custo de R$ 150 mil só com os equipamentos. A praça da zona norte recebeu cinco aparelhos fixos e dois que se movimentam em 360º e contam com zoom. Já na região sul foram colocadas oito câmeras, entre as comuns e a speed dome. O monitoramento é feito pela GM (Guarda Municipal). “Temos uma parceria com a guarda e desde que as câmeras foram instaladas tivemos uma melhora”, garantiu Oguido. 

****

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1