|
  • Bitcoin 121.615
  • Dólar 5,0547
  • Euro 5,2170
Londrina

Cidades

m de leitura Atualizado em 29/06/2022, 04:30

Guarda Municipal de Londrina vai ampliar monitoramento com mais 82 câmeras

Prefeitura também vai trocar equipamentos que já estão com 10 anos de uso; licitação deve ser publicada nos próximos dias

PUBLICAÇÃO
quarta-feira, 29 de junho de 2022

Rafael Machado - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

Foto: Gustavo Carneiro - Grupo Folha
menu flutuante

A Prefeitura de Londrina deve publicar nos próximos dias a licitação para comprar 142 câmeras de monitoramento. Dessa quantidade, 82 serão adquiridas para ampliação e 60 para substituir as que já existem e precisam ser trocadas pelo tempo de uso. 

Os últimos equipamentos foram comprados há 10 anos no antigo convênio da prefeitura com o Cismel (Consórcio Intermunicipal de Segurança Pública e Cidadania). O custo total será de R$ 400 mil. A autorização para o processo licitatório foi dada no dia 15 de junho pela secretária interina de Gestão Pública, Juliana Guimarães. 

Hoje, a Guarda Municipal é responsável por 415 câmeras que funcionam 24 horas. Dessas, 364 são da própria corporação e o restante pertence à CMTU (Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização), mas o monitoramento é compartilhado. 

"Todos os aparelhos passaram por manutenção recente, mas alguns não têm mais conserto porque são antigos. É por isso que precisam ser trocados com urgência. Os outros serão usados para expandir o sistema de vigilância", esclareceu o secretário municipal de Defesa Social, Pedro Ramos. 

Imagem ilustrativa da imagem Guarda Municipal de Londrina vai ampliar monitoramento com mais 82 câmeras Imagem ilustrativa da imagem Guarda Municipal de Londrina vai ampliar monitoramento com mais 82 câmeras
|  Foto: Gustavo Carneiro/Grupo Folha
 

LEIA MAIS:

Violência aumenta no Bosque Central; furtos e tráfico de drogas são os crimes mais comuns 

+ Prefeitura inicia processo de aquisição de bodycams à Guarda Municipal

PLANEJAMENTO

Segundo ele, os pontos que receberão as câmeras estão sendo definidos, mas os prédios públicos terão prioridade. "A maior parte delas será instalada na entrada da Biblioteca Municipal, em postos de saúde e cemitérios, por exemplo. Também vamos implantar, só que em menor quantidade, em locais de grande movimentação, como praças e espaços de lazer", resumiu. 


O secretário explicou que os equipamentos que serão comprados para aumentar a rede de monitoramento terão uma função inédita. "Será possível reconhecer placas de veículos, o que vai facilitar o reconhecimento se são roubados ou furtados", informou. 

VALORES

A licitação com preço máximo de R$ 400 mil inclui HDs para gravação de imagens. O custo de cada câmeras varia de R$ 740, R$ 4,4 mil e até quase R$ 10 mil. As mais caras são justamente aquelas que terão a finalidade de identificar as placas de carros e motos. 

O processo não inclui a montagem, serviço já previsto em contrato que a prefeitura tem com outra empresa. Se não houver nenhum obstáculo na concorrência, as câmeras devem ser adquiridas ainda no segundo semestre deste ano. 

LOGÍSTICA

Pedro Ramos defendeu que a vigilância eletrônica ajuda a distribuir melhor os locais de patrulhamento. Atualmente, a Guarda Municipal tem cerca de 300 agentes. Um concurso público foi aberto para contratar pelo menos mais 35. 

"A união das câmeras com o sistema de alarme, que começou em algumas escolas municipais, tem dado ótimos resultados. Onde há o monitoramento, conseguimos botar a viatura em outro local pra patrulhar. Tem funcionado bem, inclusive com queda de crimes", finalizou.

**** 

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1