|
  • Bitcoin 121.204
  • Dólar 5,0910
  • Euro 5,2422
Londrina

Cidades

m de leitura Atualizado em 30/06/2022, 15:23

Carros apreendidos estão abandonados em avenida central de Carlópolis

Moradores reclamam que veículos recolhidos pela Polícia Civil viraram focos do mosquito Aedes aegypti e também têm atrapalhado o comércio

PUBLICAÇÃO
quinta-feira, 30 de junho de 2022

Pedro Marconi - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

Foto: Divulgação
menu flutuante

Faz aproximadamente quatro anos que os moradores da avenida Elson Soares, na área central de Carlópolis (Norte Pioneiro), a 200 quilômetros de Londrina, são obrigados a conviver com um “vizinho” incômodo. São dezenas de carros apreendidos pela Polícia Civil, mas que ficam na rua, em frente ao prédio onde funcionava a delegacia, ocupando vagas de estacionamento, “sujando” a paisagem urbana e gerando problemas para a saúde.  

Segundo a população, as carcaças dos veículos se transformaram em focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. “No ano passado minha família foi diagnosticada com dengue. O mesmo aconteceu com outras pessoas que moram na rua. Este ano, assim que esquentar, vai ser a mesma situação”, constatou um morador, que pediu para não ter o nome divulgado. 

LEIA TAMBÉM:

Governador assina ordem de serviço para obra do CEEP de Londrina

+ Reabertura do Hospital São José marca o aniversário de Carlópolis

+ Uenp terá parque universitário de 105 mil m² em Jacarezinho

Em 2020, a cidade enfrentou um surto de dengue. O primeiro caso confirmado foi de uma pessoa que trabalhava nas proximidades da delegacia, ou seja, perto dos carros abandonados. 

Os comerciantes reclamam que os transtornos também são para a economia local. “Não tem como estacionar e espanta os clientes. Além disso, acontecem muitos acidentes nessa quadra, porque os carros atrapalham a visão dos motoristas. É uma via movimentada. Estamos vivendo uma situação insustentável. Tem até carro sujo de sangue que está na rua e ninguém faz nada para retirar”, criticou um empresário, que também deu o relato sob a condição de anonimato.  

Cerca de 20 veículos ocupam a rua, em frente ao antigo prédio da delegacia da cidade Cerca de 20 veículos ocupam a rua, em frente ao antigo prédio da delegacia da cidade
Cerca de 20 veículos ocupam a rua, em frente ao antigo prédio da delegacia da cidade |  Foto: Divulgação
 

Atualmente, cerca de 20 veículos estão ao longo da rua. O prédio que abrigava a delegacia hoje é administrado pelo Depen (Departamento Penitenciário do Paraná), responsável pela carceragem do município de pouco mais de 14 mil habitantes. “Esses carros estão na frente das nossas casas. Não consigo ver, por exemplo, a casa do meu vizinho da frente. São carros sujos, velhos, amassados. Já fizemos abaixo-assinado, ofício para autoridades, mas não resolveu. Não temos mais para quem recorrer”, destacaram. 

DECISÃO JUDICIAL 

Em setembro do ano passado, a Justiça determinou que o Governo do Estado retirasse os carros, os levasse para um local coberto e ainda fizesse um leilão. A decisão foi proferida após ação civil pública ajuizada pelo MP-PR (Ministério Público do Paraná). Na época, a promotoria constatou a existência de 150 veículos a céu aberto. Outra opção seria a limpeza quinzenal. Em caso de descumprimento da liminar, o governo poderia ser multado em R$ 10 mil por dia.  

“Até o momento, a decisão judicial não foi cumprida e o Estado está totalmente indiferente ao problema, sendo omisso sem dar qualquer satisfação”, criticou o morador. 

PÁTIO ALUGADO 

Secretária de Administração da cidade, Sandra Santos Pascon garantiu que a Vigilância Epidemiológica tem cobrado a retirada dos carros. Por meio de nota, a Polícia Civil do Paraná afirmou que está "em tratativas para que seja locado um imóvel para a implantação de um pátio para o armazenamento dos veículos apreendidos naquela região”. 

****

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1