Em 11 minutos, vereadores de Cambé aprovam reposição para servidores e prefeito


Rafael Machado - Grupo Folha
Rafael Machado - Grupo Folha

 

Em 11 minutos, vereadores de Cambé aprovam reposição para servidores e prefeito
Reprodução/Câmara de Cambé
 

Em uma sessão relâmpago, os nove vereadores de Cambé (Região Metropolitana de Londrina) aprovaram cinco projetos de lei que concedem reposições salariais para diversas categorias, como o prefeito Conrado Scheller (DEM), Zezinho da Ração, o vice, e secretários municipais, além de servidores municipais tanto da Câmara quanto do Legislativo. Para os políticos e os representantes das secretarias, o reajuste é de 4,52%. Já os funcionários públicos teriam direito a 5,20%. Os percentuais consideram o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor). 


 

Em 11 minutos, vereadores de Cambé aprovam reposição para servidores e prefeito
Reprodução/Câmara de Cambé
 


Na abertura do encontro convocado em caráter extraordinário na manhã desta terça-feira (20), o presidente da Câmara, Fernando dos Santos Lima (DEM), que é do mesmo partido de Scheller, concedeu a palavra aos colegas de Casa. O vereador Carlinhos da Ambulância (PTB) sugeriu que votação fosse em bloco, ou seja, que a análise fosse feita de uma vez só. Sem qualquer questionamento, as propostas foram aprovadas por unanimidade. A reunião dos parlamentares durou pouco mais de 11 minutos, como mostra a transmissão ao vivo do Facebook:


Ademílson (MDB) sustentou que as reposições servem "para evitar perdas. São direitos já adquiridos". Jota Mattos (PSD) disse que "para Cambé ser melhor, precisamos de servidores bem remunerados". Carlinhos comentou que "independente do setor, o trabalho dos nossos funcionários não é fácil". 


A assessoria da Câmara Municipal de Cambé informou que os projetos foram debatidos por mais de duas horas na sessão da última segunda-feira (19) e que por isso a votação na sessão extraordinária de ontem foi mais rápida.  

Como são os projetos de lei

Como a FOLHA mostrou, um dos textos altera os salários do prefeito, vice e secretários municipais. Se for esse o entendimento, o vencimento de Conrado Scheller passaria de R$ 18.803,06 para R$ 19.652,95. Já o de Zezinho aumentaria de R$ 8.618,06 para R$ 9.007,59, o mesmo para os secretários, conforme consulta feita no Portal da Transparência da prefeitura. A medida terá impacto de R$ 71.384,63 nas contas públicas neste ano e R$ 72.473,99 para 2022.


O gestor poderia ultrapassar o que Marcelo Belinati (PP) ganha em Londrina: R$ 19.183,63. Outros dois recompõem os salários dos servidores municipais e da Câmara. Só do município, são cerca de 2,7 mil trabalhadores. "Se essa reposição não for dada, o comércio da cidade poderá ser prejudicado. Não é certo aumentar o IPTU e não aplicar o mesmo índice para o coletor de lixo, por exemplo", rebateu o prefeito. 


A última matéria altera os vencimentos do chefe de gabinete de Scheller, do diretor-presidente da Comdec (Companhia de Desenvolvimento de Cambé), do presidente da Cambé Previdência e do ouvidor municipal, que são comissionados e receberiam R$ 9.007,59 em vez dos atuais R$ 8.618,06.



Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo