|
  • Bitcoin 150.776
  • Dólar 4,9314
  • Euro 5,2146
Londrina

Política

m de leitura Atualizado em 21/03/2022, 18:11

Belinati não vê 'polêmica' após receber Lula no aeroporto

Prefeito diz que encontro antes de evento em Londrina com o ex-presidente é "institucional"

PUBLICAÇÃO
segunda-feira, 21 de março de 2022

Guilherme Marconi - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

menu flutuante
Imagem ilustrativa da imagem Belinati não vê 'polêmica' após receber Lula no aeroporto Imagem ilustrativa da imagem Belinati não vê 'polêmica' após receber Lula no aeroporto
|  Foto: reprodução redes socais PT Paraná
 

O prefeito de Londrina, Marcelo Belinati (PP), foi questionado durante coletiva de imprensa nessa segunda-feira (21) sobre o encontro com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que ocorreu no último sábado no aeroporto. O pré-candidato petista à Presidência, o ex-governador Roberto Requião (PT), a presidente nacional do PT, Gleisse Hofmann, e uma comitiva foram recebidos pelo prefeito na  pista do aeroporto antes de seguirem para o evento agendado com a militância do MST (Movimento Sem Terra) no assentamento Eli Vive, no distrito de Lerroville. O vice-prefeito de Londrina, João Mendonça (PP), também aparece em fotos do evento na zona rural de Londrina.

No fim de semana, adversários políticos do prefeito fizeram vídeos criticando o encontro do chefe do Executivo municipal com o ex-presidente e fizeram ataques à postura de Belinati. Questionado, o prefeito argumentou que o encontro foi institucional, que receberá todos os pré-candidatos à presidência da República. "Polêmica nenhuma. Não sei quem vai se eleger presidente da República, ninguém sabe. É papel institucional do prefeito receber as pessoas que aqui vêm. O que eu quero é exatamente abrir as portas de Brasília para Londrina. Eu prezo o respeito, a educação. Londrina sempre foi uma cidade educada e faz parte da liturgia do cargo. Me perdoem aqueles que criticaram. Eu não vou receber só o candidato que eles gostam, vou receber também o que não gostam. Eu vou receber todos os candidatos que vierem a Londrina e me convidarem a estar lá", disse Belinati na coletiva realizada numa escola municipal na zona leste da cidade em evento onde participou de lançamento do Programa Espaço 4.0, que vai oferecer cursos na área de tecnologia para crianças e adolescentes da rede municipal. O prefeito participou do evento ao lado do deputado federal Filipe Barros (PSL), que é aliado de primeira hora do presidente Jair Bolsonaro (PL) e foi um dos que criticaram duramente o prefeito nas redes sociais por receber Lula.

Embora tenha feito a declaração, Belinati não recebeu o ex-juiz e ex-ministro de Bolsonaro Sergio Moro (Podemos), que participou no início de março de evento de lançamento de livro em Londrina. Questionado a respeito, o prefeito respondeu, por meio da assessoria de imprensa, que houve um desencontro. Isso porque ele teria ido até o Hotel Crystal para visitá-lo, mas o ex-juiz estava concedendo entrevistas à imprensa local. Belinati afirmou que conversou durante uma hora com o senador Alvaro Dias (Podemos), que é o coordenador de campanha de Moro. 

Leia mais: Em Londrina, Lula evita pragmatismo em discurso para a militância

APOIO POLÍTICO

O prefeito de Londrina é do Progressistas, partido comandado no Paraná pelo deputado federal Ricardo Barros, que é o líder do governo Bolsonaro na Câmara dos Deputados. O PP também realizou evento de filiação de deputados há duas semanas em Curitiba e já reiterou apoio à reeleição do atual presidente da República, que é do Partido Liberal. Mesmo assim, Belinati frisou que a visita a Lula no aeroporto tem caráter institucional e que não se trata de apoio político para eleições de outubro. "Uma coisa é receber no aeroporto e outra coisa é apoio político e apoio político será definido no âmbito do me meu partido no momento adequado. Londrina é uma cidade que respeitou as pessoas e recebeu a todos de braços abertos."

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.