|
  • Bitcoin 121.204
  • Dólar 5,0910
  • Euro 5,2422
Londrina

Opinião

m de leitura Atualizado em 09/07/2022, 09:13

OPINIÃO DO LEITOR - Medalha merecida

PUBLICAÇÃO
quarta-feira, 06 de julho de 2022

.João Eugênio Fernandes de Oliveira
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

Eu nunca li um livro. Por óbvio também nunca escrevi um. Nunca frequentei bibliotecas e, para falar a verdade, não dou a mínima para elas. Não é por isso que eu não mereça ser agraciado com a medalha Ordem do Mérito do Livro, concedida pela Biblioteca Nacional.

LEIA MAIS: Medalha entregue a Daniel Silveira provoca onda de protestos

Mereço sim, e merecia mais. A Academia Brasileira de Letras que reserve meu lugar. Mereço porque eu sou o representante de grande parcela da população. Sou representante daqueles que preferem as armas aos livros; daqueles que são contra o “sistema”, mas o utilizam para benefício próprio; sou representante dos que dizem ser democráticos, mas atacam as instituições pilares da democracia; sou também representante dos que são contra a corrupção, mas fraudam atestados médicos para faltar ao serviço; represento uma camada da sociedade que não gosta de leitura, preferem os memes da internet; uma camada social que representa os brucutus. E essa é a era dos brucutus e eu sou seu maior representante.

Mereço sim, porque muitos outros brasileiros receberem a mesma distinção, e eu sou um brasileiro. Ora, porque são melhores do que eu Carlos Drummond de Andrade, Gilberto Freyre, Oscar Niemeyer e Afonso Arinos, que igualmente como eu receberam a honraria? Só porque escreveram um livro e eu não? Isso mostra o quanto essa medalha da Biblioteca Nacional não era democrática, só era concedida a quem tinha escrito um livro! Eu inaugurei a homenagem àqueles que sequer leram um! Isso sim eu chamaria de inclusão social.

Só lamento que meus seguidores não lerão este texto pois são todos avessos a livros, leitura, jornais e tudo relacionado a bibliotecas.

Mas foi uma justa homenagem. Aliás, foi destruindo uma homenagem que eu me elegi deputado federal. Homenagem nem sempre são merecidas.

João Eugênio Fernandes de Oliveira (advogado) Londrina 

Os artigos, cartas e comentários publicados não refletem, necessariamente, a opinião da Folha de Londrina, que os reproduz em exercício da sua atividade jornalística e diante da liberdade de expressão e comunicação que lhes são inerentes.

COMO PARTICIPAR| Os artigos devem conter dados do autor e ter no máximo 3.800 caracteres e no mínimo 1.500 caracteres. As cartas devem ter no máximo 700 caracteres e vir acompanhadas de nome completo, RG, endereço, cidade, telefone e profissão ou ocupação.| As opiniões poderão ser resumidas pelo jornal. | ENVIE PARA [email protected]