EDITORIAL - Londrina quer garantia da ampliação de pista do aeroporto


Folha de Londrina
Folha de Londrina

Os compromissos firmados por meio de palavras é uma prática antiga. É óbvio que a palavra tem valor, porém é muito mais seguro para as partes que firmam um acordo que os direitos e deveres estejam claramente documentados em papel ou digitalmente.  


É essa segurança que a  Comissão de Desenvolvimento e Infraestrutura de Londrina e Região buscam em relação à modernização do Aeroporto Governador José Richa, de Londrina, que passará  para a concessão privada e será administrado pelo grupo CCR. 


O terminal estava entre nove complexos que compunham o Lote Sul de um leilão promovido em abril deste ano pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) na Bolsa de Valores. A CCR tem o compromisso de investir R$ 273 milhões no aeroporto de Londrina nos próximos 30 anos em projetos de melhoria da infraestrutura aeroportuária e ampliação da capacidade de voos.


O investimento em Londrina se divide em duas fases. A primeira deve ser realizada de 2024 a 2035 e inclui a maior parte das obras previstas, como ampliação e melhorias na pista de pouso e decolagem, a construção de um novo terminal de passageiros e reforma no terminal já existente, além de construção e adequação das pistas de taxiamento.    


A segunda etapa acontece entre 2036 e 2051 e prevê a ampliação do terminal de passageiros e dos pátios e pistas de taxiamento. A promessa é que Londrina será beneficiada a médio e longo prazos, em razão do aumento de voos e rotas para outros destinos, favorecendo a industrialização e o crescimento  populacional do município e de toda a região.  


É consenso a importância que o aeroporto representa para o desenvolvimento local. O Grupo FOLHA tem representação na Comissão de Infraestrutura do Norte do Paraná e a modernização do terminal sempre esteve nas pautas da Folha de Londrina, jornal que dá voz às lideranças regionais e frequentemente cobra das autoridades soluções para os problemas relacionados ao complexo que atende a Região Metropolitana de Londrina, além de moradores do Norte Pioneiro, Vale do Ivaí e parte do estado de São Paulo, compreendendo uma área de influência de 32 mil quilômetros quadrados e cobrindo cerca de 90 municípios. 


Na última sexta-feira (24), representantes da Comissão de Infraestrutura estiveram na prefeitura de Londrina para solicitar que o prefeito Marcelo Belinati defenda junto à Anac a ampliação da pista do Aeroporto de Londrina. As lideranças estão preocupadas se a ampliação da pista do aeroporto está no radar da concessionária e esperam que essa obra esteja detalhada na consolidação do contrato de concessão. No edital de concessão, a ampliação da pista não está descrita de forma clara.


Com a  concessão do terminal para a iniciativa privada há expectativa de que uma boa gestão permitirá investimentos que possam modernizar o aeroporto e ajudar Londrina a se tornar um hub regional de logística. As decisões tomadas agora vão impactar os próximos 30 anos e cada detalhe do contrato de concessão é importante. 


Obrigado por ler a FOLHA!


Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.





Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo