|
  • Bitcoin 118.109
  • Dólar 5,2177
  • Euro 5,3453
Londrina

MUNDO

m de leitura Atualizado em 20/07/2022, 17:20

Ucrânia convida fabricantes para testar novas armas na guerra

A declaração aconteceu em conversa com o ex-embaixador americano John E. Herst, no 'think tank' americano Conselho Atlântico

PUBLICAÇÃO
quarta-feira, 20 de julho de 2022

Pedro Paulo Furlan – Folhapress
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

São Paulo - O ministro da Defesa da Ucrânia, Oleksii Reznikov, convidou produtores de armas para testar na prática seus novos equipamentos no campo de batalha durante a guerra do país contra a Rússia, afirmando que o território é "uma área de testes". A declaração aconteceu na terça-feira (19) em conversa com o ex-embaixador americano John E. Herst, no 'think tank' americano Conselho Atlântico. 

Ucrânia alega que as Forças Armadas do país têm conseguido "infligir perdas logísticas significantes" aos russos Ucrânia alega que as Forças Armadas do país têm conseguido "infligir perdas logísticas significantes" aos russos
Ucrânia alega que as Forças Armadas do país têm conseguido "infligir perdas logísticas significantes" aos russos |  Foto: Anatolii Stepanov/AFP
 

 "Eu diria que a Ucrânia, agora, é essencialmente uma área de testes. Muitas armas estão sendo testadas nas condições reais de batalha contra o exército russo, que tem muitos sistemas modernos próprios. Armamentos eletrônicos, ferramentas de sinalização, defesas aéreas", afirmou o ministro. 

 "Nós estamos compartilhando todas as informações com os nossos parceiros e estamos interessados em testar sistemas modernos na luta contra o inimigo. Também estamos convidando os fabricantes a testarem seus novos produtos aqui, novos tipos de equipamentos", continuou.  

LEIA TAMBÉM

Bolsonaro diz que está do lado da paz após ser cobrado por presidente da Ucrânia

Rússia entra na capital da Ucrânia e já fala em negociar nos seus termos

A declaração aconteceu após Herst questionar o ucraniano sobre o feedback aos produtores de armamento americanos, ou de outros aliados, que têm enviado à Ucrânia em resposta ao uso de suas armas de maneiras inovadoras durante a guerra. 

 Em um momento da guerra no qual as tropas ucranianas continuam recebendo apoio militar dos EUA e de outras potências da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), o ministro afirmou que essa é uma "ótima oportunidade" para produtores de armamento. 

 "Para os nossos parceiros é uma ótima oportunidade de testar os equipamentos, nos dê as ferramentas, nós terminaremos o trabalho, vocês terão a informação", disse. 

 Uma das armas enviadas à Ucrânia é o lança-mísseis Himars de origem dos Estados Unidos. O armamento deu a Kiev um novo impulso no campo de batalha. 

 Em seu tradicional comunicado noturno, o presidente da Ucrânia, Volodimir Zelensky, disse na terça que as Forças Armadas da Ucrânia têm conseguido "infligir perdas logísticas significantes" contra os russos, "aumentando a dificuldade para as tropas russas manterem posições no território capturado" - especialmente no leste ucraniano, foco principal da guerra no momento. 

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.