TJ contrata nova empresa para terminar o Fórum Criminal de Londrina

Contrato com construtora que venceu licitação foi rescindido após pedido de recuperação judicial; segunda colocada no certame aceitou concluir os trabalhos pelo mesmo valor da primeira colocada

Luis Fernando Wiltemburg - Grupo Folha
Luis Fernando Wiltemburg - Grupo Folha

O TJ (Tribunal de Justiça) do Paraná contratou a segunda colocada na licitação da construção do novo Fórum Criminal de Londrina para concluir a obra, depois que a primeira colocada, JWA Construção e Comércio Ltda, entrou em recuperação judicial. Iniciada em maio de 2019, a obra tinha previsão de entrega em 20 meses, mas apenas 6% foram concluídos.


TJ contrata nova empresa para terminar o Fórum Criminal de Londrina
Gustavo Carneiro


A JWA venceu a licitação ao se propor a executar a obra por pouco mais de R$ 52 milhões, mas entrou em recuperação judicial em novembro do ano passado, cerca de seis meses após iniciados os trabalhos. O TJ propôs a rescisão amigável do contrato, com o pagamento dos serviços já executados, e procurou a Salver Construtora e Incorporadora, segunda colocada no certame, que se interessou em concluir a obra pelo mesmo valor proposto pela primeira colocada. 




A Salver deve receber R$ 48,6 milhões para terminar o prédio do Judiciário e a retomada deve ocorrer no dia 2 de março, com previsão de conclusão em 20 meses. Com a medida, o TJ evitou a promoção de um novo certame para o Fórum Criminal de Londrina, o que atrasaria ainda mais a entrega.


Além da recuperação judicial, os trabalhos da JWA foram marcados por outro fato inusitado: parte da construção que seria demolida desabou, derrubou um poste e feriu duas pessoas. O momento foi gravado e viralizou nas redes sociais.


 O TJ chegou a pedir explicações para construtora pelo ocorrido.


COMPLEXO JUDICIÁRIO


O  projeto do novo Fórum Criminal tem 25.468,67 metros quadrados e vai abrigar, quando pronto, seis Varas Criminais, duas Varas da Infância e Juventude e os Juizados Especiais, com previsão para a expansão de mais quatro varas. 


O prédio terá ligações por passarela com o Fórum Cível e a entrada dos detentos será no subterrâneo, de forma a garantir tanto a segurança deles quanto de vítimas e testemunhas.


Serão disponibilizadas, também, salas para o Ministério Público, para a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) e para a Defensoria Pública. 


Vai complementar o complexo de unidades judiciais, ao lado do Fórum Cível, com 15 mil m² de área construída. Junto com os outros edifícios, o Fórum Criminal formará o Complexo Judiciário de Londrina, que será o maior do Paraná, com aproximadamente 43 mil m².




Atualmente, as Varas Criminais estão funcionando em uma sede provisória, localizada na Avenida Tiradentes, 1.575.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Continue lendo


Últimas notícias