|
  • Bitcoin 125.848
  • Dólar 5,0741
  • Euro 5,2058
Londrina

Geral

m de leitura Atualizado em 03/03/2022, 18:59

Sem estipular prazo, prefeitura busca dinheiro para instalar câmeras em guardas

Município atendeu recomendação do Ministério Público e pretende gastar mais de R$ 100 mil na compra de equipamentos

PUBLICAÇÃO
quinta-feira, 03 de março de 2022

Rafael Machado - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

O secretário de Defesa Social, Pedro Ramos, divulgou nesta quinta-feira (3) como deve ser o planejamento da Prefeitura de Londrina para implantação das câmeras portáteis nos guardas municipais. A medida foi antecipada com exclusividade pela FOLHA, que mostrou a resposta positiva do prefeito Marcelo Belinati (PP) em adotar o sistema depois que o Ministério Público emitiu uma recomendação administrativa, no final do ano passado. 

Na entrevista coletiva na sede do MP e acompanhado dos promotores Renato de Lima Castro e Susana de Lacerda, que fizeram o pedido, Ramos disse que a intenção inicial é adquirir 24 câmeras. Porém, não estipulou uma data para a compra. "Elas custariam cerca de R$ 102 mil, incluindo os materiais para armazenamento das imagens. Não estava previsto no orçamento deste ano. Vamos buscar alternativas e até recursos de fora, como do governo federal, por exemplo", afirmou. 

Imagem ilustrativa da imagem Sem estipular prazo, prefeitura busca dinheiro para instalar câmeras em guardas Imagem ilustrativa da imagem Sem estipular prazo, prefeitura busca dinheiro para instalar câmeras em guardas
|  Foto: Rafael Machado - Grupo Folha
 

Assim que os promotores fizeram o pedido, a Guarda Municipal procurou empresas que já forneciam a tecnologia para forças de segurança de outros estados brasileiros. Após esse contato, o órgão testou seis câmeras nos agentes que fazem o patrulhamento de rua durante 21 dias. Segundo o secretário, os resultados foram, em sua grande maioria, positivos. Mas algumas dificuldades também foram notadas. 

"Alguns guardas ficaram um pouco inibidos durante o atendimento de ocorrências, principalmente aquelas em que a abordagem é mais incisiva. Mas isso é natural e pode ser aperfeiçoado em capacitações. Percebemos que as vítimas, quando informadas que estavam sendo filmadas, ficavam receosas na hora de denunciar, o que também pode ser melhorado", explicou Ramos. 

Por outro lado, o chefe da GM ressaltou que os agentes serão beneficiados com as câmeras. "Além dos casos de abusos de autoridade, que podem ser combatidos, o próprio guarda acaba sendo protegido. Se a pessoa diz que foi agredida e isso não aconteceu, a filmagem vai comprovar. Não fica só no papel. Se filmou, não tem para onde correr". 

De acordo com o promotor Renato de Lima Castro, a ideia é estender o sistema para outras categorias, como a Polícia Militar. Na semana passada, quando esteve em Londrina para inauguração da PEL 3 (Penitenciária Estadual de Londrina), o secretário de Segurança Pública do Paraná, Rômulo Marinho Soares, comentou que está aguardando uma posição do governo federal para padronizar o uso das câmeras no Brasil inteiro. 

"Discordo da posição do secretário. Outros estados, como São Paulo, já adotaram as câmeras. Por que o Paraná está demorando tanto para instalar nos policiais militares? O Ministério Público está cobrando o comando da PM, mas a conversa ainda não evoluiu", concluiu Castro. 

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.