|
  • Bitcoin 121.113
  • Dólar 5,0855
  • Euro 5,2421
Londrina

Geral

m de leitura Atualizado em 28/06/2022, 20:49

Pista principal do viaduto da Bratislava é liberada para tráfego

Obras nas marginais devem ser concluídas em 20 dias; segundo o DER, 25 mil veículos passam por dia no trecho

PUBLICAÇÃO
terça-feira, 28 de junho de 2022

Vítor Ogawa - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

Na tarde desta terça-feira (28), o governador Ratinho Júnior (PSD) participou de cerimônia que liberou o tráfego da pista principal do viaduto da Bratislava, na BR-369, em Cambé (Região Metropolitana de Londrina). O valor total do investimento foi de R$ 13,5 milhões, mas ainda são necessárias obras complementares. Como forma de dar celeridade ao processo, a construção seguiu o RDCI (regime de contratação integrada). O modelo, adotado pela primeira vez no Estado, permitiu ao DER/PR (Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná) contratar, com uma única licitação, uma empresa ou consórcio de empresas para elaborar o projeto executivo e imediatamente dar início à execução da obra. 

“Estamos organizando a estrutura logística e naturalmente atraímos mais investimento para a região", destacou o governador “Estamos organizando a estrutura logística e naturalmente atraímos mais investimento para a região", destacou o governador
“Estamos organizando a estrutura logística e naturalmente atraímos mais investimento para a região", destacou o governador |  Foto: Gustavo Carneiro
 

O secretário de Infraestrutura e Logistíca, Fernando Furiatti Sabóia, ressaltou que o RDCI permitiu que a obra fosse executada em 24 meses. “Esta é a primeira obra do estado feita pelo regime RDCI, que faz com que a licitação contrate a mesma empresa que faz o projeto ser a responsável por executar a obra. Isso trouxe inovação e rapidez”, declarou.

O prefeito de Cambé, Conrado Scheller (DEM), ressaltou que é uma obra que foi escolhida pelo número acidentes com mortes. “Nós temos outros pontos em Cambé necessários que também precisam de intervenção.”

LEIA TAMBÉM

+ Governador anuncia investimentos na segurança e na saúde

Passam pela rodovia 25 mil carros por dia, segundo dados do DER. O prefeito explicou que a obra não foi entregue em sua totalidade porque não dá para fazer a marginal e a pista principal ao mesmo tempo. “Em 15 a 20 dias vão trabalhar as marginais para entregar 100% da obra.”

Questionado se há cobrança para a construção do viaduto do cruzamento da BR-369 com a Estrada da Esperança, Sheller disse que o compromisso do governo estadual é fazer essa obra. 

O governador Ratinho Jr. ressaltou que a liberação do tráfego da pista principal do viaduto da Bratislava é um um evento muito importante. “Na ExpoLondrina, fizemos uma reunião com os prefeitos da região e entre as três principais reivindicações estavam o viaduto da Bratislava, o viaduto da PUC e a duplicação da PR-445. A duplicação da PR-445 já está com o dinheiro garantido e houve a liberação do Iphan para a obra. O viaduto da PUC já tem empresa contratada para o projeto e obra junto. O viaduto da Bratislava inaugurou essa modalidade de contrato”, destacou.

Ele afirmou que a região está virando um corredor industrial que vai até Maringá. “Estamos organizando a estrutura logística e naturalmente atraímos mais investimento para a região. Hoje o IBGE anunciou que o Paraná gerou 15 mil empregos em maio e está entre os três estados que mais geraram empregos no Brasil e é o maior gerador de emprego do Sul. Nos cinco primeiros meses o estado gerou 75 mil empregos. São mais indústrias e investimentos e Londrina e o Norte do Paraná é a região que mais tem recebido recursos”, declarou.

Sobre o viaduto da Estrada Esperança, ele aguarda a reação com a diminuição do ICMS para se organizar em termos orçamentários e financeiros. "Mas ali é algo que tem que se fazer, pois ali vai ter um outro gargalo."

ICMS

O governador afirmou que está acompanhando a decisão do Congresso Nacional de reduzir o imposto. “Nossa equipe da Fazenda está se reunindo com a equipe da Procuradoria e lá pela sexta-feira já será publicado um decreto. Os postos de combustíveis tendem a tomar a decisão de diminuir esses custos. Claro que vai ter todo um trabalho do Procon para acompanhar se realmente os postos de combustíveis vão colocar na bomba aquilo que estamos determinando que se faça.”

Ratinho Jr. calculou que a diminuição de receita ficará em R$ 5 bilhões. "Mas é um esforço do Estado, já que a população vem pedindo isso."

Receba nossas notícias direto no seu celular. Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.