O juiz da 1ª Vara Criminal de Londrina, Paulo César Roldão, vai coordenar nesta terça-feira (8), a partir das 14h, a primeira audiência do caso Otoniel de Paula Santos, vendedor de máquinas de cartões de 36 anos assassinado no dia 4 de junho deste ano dentro de uma funilaria no Parque Waldemar Hauer, zona leste. O Instituto Médico Legal confirmou no laudo de necropsia que a vítima levou diversos golpes na cabeça provocados "por objeto contundente".

Imagem ilustrativa da imagem Justiça começa a ouvir testemunhas da morte de Otoniel de Paula
| Foto: Divulgação

Onze testemunhas devem depor. São policiais militares, investigadores da 10ª Subdivisão Policial, familiares de Otoniel e outras pessoas ouvidas durante o inquérito. Segundo a Polícia Civil, o crime teve a participação de quatro homens, que estão presos preventivamente e atuaram em diferentes funções, como cometer o homicídio ou esconder o corpo e o carro do vendedor.

Ele ficou desaparecido entre 4 a 6 de junho, um sábado à tarde, quando foi encontrado já sem vida em um matagal às margens da BR-369, no Contorno Norte de Ibiporã. O veículo dele, um Space Fox prata, foi apreendido pela PM em uma chácara na zona rural de Sabáudia, município distante mais de 50 quilômetros de Londrina. Uma perícia feita no automóvel assegurou aos investigadores que o sangue no porta-mala era mesmo de Otoniel.

Os detidos são acusados de homicídio duplamente qualificado, fraude processual, receptação qualificada e ocultação de cadáver. A reportagem procurou os advogados de defesa, mas não conseguiu contato com nenhum deles. Parentes do vendedor assassinado não quiseram falar sobre a expectativa da audiência.