|
  • Bitcoin 99.702
  • Dólar 5,2536
  • Euro 5,5041
Londrina

Geral

m de leitura Atualizado em 20/05/2022, 18:09

Futuro de paranaense preso com cocaína na Tailândia será definido em julho

Jordi Beffa, de Apucarana, está atrás das grades porque escondeu droga na mala

PUBLICAÇÃO
sexta-feira, 20 de maio de 2022

Rafael Machado - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

Ficou para o dia 18 de julho o julgamento que pode definir o futuro de Jordi Beffa, paranaense preso desde fevereiro na Tailândia com quatro quilos de cocaína. Além dele, outras duas pessoas, Ricardo de Almeida da Rosa e Mary Hellen Coelho Silva, também brasileiros, foram detidos por tráfico internacional de drogas. 

Beffa é natural de Apucarana, no Norte do Paraná, enquanto os outros acusados são de Pouso Alegre, no interior de Minas Gerais. A defesa da jovem informou que ela foi condenada a mais de nove anos de prisão pela Justiça tailandesa, que ainda não analisou o caso do apucaranense. 

LEIA MAIS

Paranaense preso na Tailândia recebe visita de chefe do setor consular

Em nota, o advogado Petrônio Cardoso disse que "a Embaixada do Brasil em Bangkok conversou com Jordi Beffa nesta quinta-feira (19) e repassou as informações ao escritório na madrugada desta sexta de que o rapaz ainda não recebeu sentença definitiva". 

Cardoso descreve que "o caso dele (Beffa) estaria ainda em investigação por ter sido encontrada uma quantidade considerada pequena de cocaína. A sentença final deve vir em julho, quando acontecerá a audiência. A expectativa otimista é que ele seja sentenciado por crime civil e que possa ser solto mediante pagamento de multa". 

Segundo o advogado, a "Embaixada está prestando assistência a todos os detentos brasileiros presos na Tailândia para aquisição de pequenos bens e itens de higiene que não são oferecidos pelo sistema prisional local". 

RELEMBRE O CASO

Jordi Beffa foi preso pela polícia no Aeroporto de Bangkok depois de sua mala ser vistoriada. Nela, os policiais encontraram o entorpecente. O jovem saiu do Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais (Região Metropolitana de Curitiba), mesmo local onde embarcaram os outros brasileiros detidos. 

Receba nossas notícias direto no seu celular. Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.