|
  • Bitcoin 102.844
  • Dólar 5,3317
  • Euro 5,5605
Londrina

Geral

m de leitura Atualizado em 22/06/2022, 14:07

Adolescente morre após briga na saída do colégio em Apucarana

Garoto tinha 13 anos e teria apanhado de outros seis menores; Polícia Civil investiga o caso

PUBLICAÇÃO
quarta-feira, 22 de junho de 2022

Pedro Marconi e Rafael Machado - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

Foto: Rafael Machado - Grupo Folha
menu flutuante

Um garoto de apenas 13 anos morreu na noite de terça-feira (21), em Apucarana (Centro-Norte), depois de apanhar de outros adolescentes, que têm entre 12 e 15 anos. A briga aconteceu a duas quadras do colégio estadual cívico-militar Padre José Canale, onde o menino estudava e foi após a saída da aula. Ele chegou a ser atendido por uma equipe de um posto de saúde próximo e posteriormente o Siate (Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência), foi levado para o Hospital da Providência, porém, não resistiu. 

“A Polícia Militar foi acionada pelo 190 com o relato de que algumas pessoas teriam agredido um adolescente e em seguida fugiram. Imediatamente a polícia foi até o endereço e encontrou o adolescente desacordado e junto a ele havia uma testemunha, que tentava reanimá-lo. Ela relatou que visualizou, pelo menos, seis indivíduos agredindo essa vítima”, afirmou a soldado Gabriela, do 10º Batalhão da Polícia Militar. 

Segundo a Polícia Civil, o adolescente tinha comorbidades e a suspeita é de que ele não foi a óbito diretamente em razão das agressões. “Durante as vias de fato a vítima sofreu um mal súbito, caiu desacordada, convulsionou e os demais fugiram. Não chegaram a ter agressões contundentes. Verificamos o estado do corpo da vítima e não havia sinais visíveis de traumas e agressões. Acreditamos que a causa da morte não tenha sido a agressão, mas a comorbidade pré-existente, que veio a desencadear por conta do estresse da briga”, detalhou o delegado Felipe Ribeiro Rodrigues, em entrevista à RICtv. 

LEIA TAMBÉM:

+ Alunos e pais protestam após suposto assédio em colégio de Cambé

O laudo do IML (Instituto Médico Legal) ainda não foi concluído. A família informou que o adolescente tinha crises convulsivas. Ainda na terça-feira a PM encontrou três adolescentes e os encaminhou para a delegacia juntamente com os responsáveis. Eles estudam em outro colégio da mesma região da briga. O motivo da confusão ainda está sendo investigado. 

TRAGÉDIA 

O diretor do colégio Padre José Canela afirmou que o adolescente era um bom aluno e estava matriculado no oitavo ano do ensino fundamental. “Ter uma notícia dessa magoa o nosso coração, que quer o melhor e mostrar para as crianças o verdadeiro amor que existe no mundo. Uma tragédia dessa nos deixa sem palavras, é uma revolta muito grande”, desabafou José Roberto de Oliveira. “Essa situação não começou no colégio. O aluno que faleceu era muito tranquilo”, acrescentou. 

AULAS SUSPENSAS 

Por meio de nota, a Seed (Secretaria de Estado da Educação e do Esporte) frisou que “a direção não estava ciente da possibilidade de conflito" e que o “colégio promoverá ações pedagógicas de combate à violência, além de conversas para orientação dos estudantes e responsáveis”. “A secretaria lamenta a perda do estudante e se solidariza com a família, amigos e comunidade escolar”. A prefeitura do município também lamentou a morte do adolescente. 

As aulas do colégio foram suspensas nesta quarta-feira (22) devido ao luto da comunidade escolar e deverão ser retomadas na quinta (23). 

****

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.