|
  • Bitcoin 194.990
  • Dólar 5,4587
  • Euro 6,1923
Londrina

Folha Rural 5m de leitura Atualizado em 26/11/2021, 18:20

Torneio avalia qualidade da silagem de milho no Paraná

Foram analisadas 167 amostras, de 15 municípios, além de alguns materiais de Guarapuava e Pinhão, que não entraram no torneio

PUBLICAÇÃO
sábado, 27 de novembro de 2021

Reportagem local
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

O clima teve uma influência direta sobre a qualidade das silagens de milho produzidas na região de Pato Branco, na região sudoeste do Paraná, em 2021. No entanto, alguns produtores driblaram essas dificuldades e conseguiram obter uma silagem de alta qualidade, reduzindo os custos com a alimentação dos animais.

Imagem ilustrativa da imagem Torneio avalia qualidade da silagem de milho no Paraná
|  Foto: IDR-PARANÁ
   

Essas foram algumas observações dos servidores do IDR-PR (Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná) a partir do Terceiro Torneio de Silagem de Chopinzinho, cujo resultado foi divulgado nessa semana. As informações são da AEN (Agência Estadual de Notícias)

A competição selecionou os dez produtores que obtiveram silagem de melhor qualidade na região. Foram analisadas 167 amostras, de 15 municípios, além de alguns materiais de Guarapuava e Pinhão, que não entraram no torneio.

As amostras passaram por análises para determinar o tamanho das partículas, a composição química e o valor nutricional do alimento. Além disso, a densidade e temperatura do silo também foram observadas, já que são fatores que determinam se a silagem pode ser oferecida com segurança aos animais.

Os dez primeiros colocados no torneio foram Valdecir Melo (Saudade do Iguaçu), Ivanete Machado (Bom Sucesso do Sul), Sidnei Remor (Chopinzinho), Irno Rosaneli (Vitorino), Marizete Rahrs (Bom Sucesso do Sul), João Denardin (Mangueirinha), Sérgio Onesco (Bom Sucesso do Sul), Cesar Santin, Disué Vottri e Douglas Donatti (Vitorino). Os primeiros cinco colocados ganharam prêmios em dinheiro e a partir do sexto lugar receberam um troféu. 

De acordo com os servidores, neste ano a estiagem no início do período de crescimento do milho e o excesso de chuva na hora de colher o cereal acabou atrasando o plantio da safrinha de milho.

Imagem ilustrativa da imagem Torneio avalia qualidade da silagem de milho no Paraná
|  Foto: IDR-PARANÁ
   

"Com isso os produtores tiveram que fazer o corte do milho para silagem mais cedo, com o milho mais verde, antes do ponto de maturação. O milho estava mais úmido e resultou numa silagem com pouca concentração de grãos e menor valor energético", explicou o zootecnista Guilherme Koerick, do IDR-Paraná de Chopinzinho.

DESTAQUE PARA PEQUENAS PROPRIEDADES

O zootecnista ressalta que o tamanho da propriedade não foi um fator preponderante para os bons resultados dos vencedores. Segundo ele, a área das propriedades entre os dez primeiros colocados variou de 1,8 hectare a 32 hectares.

"São produtores que usaram mais adubo, orgânico e químico, que a média da região. Eles também terceirizaram o corte da silagem. Optaram pela profissionalização dessa etapa do trabalho", disse Koerick.

Foi possível verificar que um entre cada três produtores que participaram do torneio não fez a compactação adequada da silagem. "Essa baixa densidade leva a perdas pela presença de muito oxigênio no material", informou Koerick.

Ele acrescentou que melhorar a compactação do silo pode evitar que a silagem estrague e o produtor tenha perdas. Na região a média de compactação é de 568 kg/metro cúbico, enquanto entre os dez primeiros colocados do torneio a média ficou em 639 kg/metro cúbico.

Imagem ilustrativa da imagem Torneio avalia qualidade da silagem de milho no Paraná
|  Foto: iStock
   

Outro ponto importante é que 62% dos produtores fazem um bom processamento dos grãos. Os outros 38% precisam executar alguns ajustes, já que o milho inteiro tem menor aproveitamento pelos animais, segundo os extensionistas.

LEIA TAMBÉM:

Bureau Verde: ferramenta traz novas perspectivas para o crédito rural

instagram

ÚLTIMOS POSTS NO INSTAGRAM