|
  • Bitcoin 118.700
  • Dólar 5,2124
  • Euro 5,3355
Londrina

Folha Rural

m de leitura Atualizado em 09/07/2022, 09:41

DEDO DE PROSA - Viva São Pedro

PUBLICAÇÃO
domingo, 03 de julho de 2022

Marina Irene Beatriz Polonio
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

Temos três santos com dias comemorados em junho: Santo Antônio, São João e São Pedro. Festas que, inicialmente pagãs homenageavam a natureza e, por isso mesmo, aconteciam em junho, tempo de colheitas. Depois foram assumidas pela igreja católica que não conseguia acabar com sua popularidade, segundo alguns documentos.

Quando chega perto do mês de junho veem-me à memória doces e gostosas recordações de meu pai, cuja mais importante era ele gostar de comemorar o dia de São Pedro na rua, em frente de casa.

Não era uma comemoração pomposa e também não era comunitária no que diz respeito à organização e à compra dos produtos a serem utilizados, posto que ele mesmo fazia questão de organizar e bancar, financeiramente, tudo sozinho. Até os fogos para os adultos e aqueles que serviam para as crianças acenderem e brincarem sem perigo (os chamados de estalinhos e os peido-de-veia).

Ele convidava amigos e familiares e pedia-lhes para convidar seus vizinhos. Não sei se esse comportamento dele comemorar o santo junino São Pedro seria devido a algum costume de sua descendência ou se havia alguma intenção religiosa.

O certo é que, anualmente, todo dia 28 de junho logo depois do almoço, ele e mamãe punham-se a preparar a cozinha, vasilhas e tudo que iriam usar na hora da festança. Bem como preparavam as lenhas para a fogueira, os enfeites, bancos, cadeiras, radio e tudo mais que fosse necessário para acontecer a festa. 

E era um tal de cozinhar pinhões, fazer o quentão, preparar a lenha para a fogueira, fazer pipoca etc. tudo com muito carinho e cuidado.

Quando todas as comidas e bebidas estavam prontas, ele acendia a fogueira e colocava nela, também, algumas batatas doces e algum tanto de pinhões para assar. E quando já havia bastante pessoas presentes, a pipoca e os pinhões e as demais comidinhas eram servidos a todos. E então papai, contente que ele só, até acendia alguns fogos.

Todos sentíamos que ele estava bem alegre pelo seu sorriso tímido e pela sua expressão facial rosada.

Imagem ilustrativa da imagem DEDO DE PROSA - Viva São Pedro Imagem ilustrativa da imagem DEDO DE PROSA - Viva São Pedro
|  Foto: istock
 

Era assim, muito alegre e feliz que papai comemorava São Pedro com gosto e muita disposição junto de seus familiares, amigos e vizinhos.

Me lembro daquela comemoração de São Pedro com gosto e alguma saudade de meu pai e sua simplicidade, da união de nossa família, das cantorias e brincadeiras gostosas que fazíamos naquelas festas são pedrinas.

Marina Irene Beatriz Polonio é leitora da Folha.