|
  • Bitcoin 102.802
  • Dólar 5,3317
  • Euro 5,5605
Londrina

Folha Mais

m de leitura Atualizado em 08/11/2021, 08:43

TRENDS DA SEMANA - COP26, pequeno gênio e Ifood hackeado

PUBLICAÇÃO
sábado, 06 de novembro de 2021

Alice Resende e Ana Julia Gabas *(estagiárias)
AUTOR autor do artigo

menu flutuante
Imagem ilustrativa da imagem TRENDS DA SEMANA - COP26, pequeno gênio e Ifood hackeado Imagem ilustrativa da imagem TRENDS DA SEMANA - COP26, pequeno gênio e Ifood hackeado
|  Foto: Paul Ellis / AFP
 

#COP26 

Essa segunda (1) foi marcada pela abertura da Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2021, a COP26. A representante brasileira a discursar na abertura para mais de cem chefes de Estado foi a ativista indígena Txai Suruí, de 24 anos. Em sua fala, Txai Suruí alertou para o avanço da mudança climática na Amazônia e, também, reforçou a importância de se preservar a floresta e dar voz aos povos indígenas. Txai faz parte dos Povos Suruí e é Fundadora do Movimento da Juventude Indígena de Roraima. Ela também cursa Direito, atua no núcleo jurídico da Associação de Defesa Etnoambiental - Kanindé e é conselheira da WWF Brasil. A jovem indígena foi a única brasileira a falar na abertura da Cúpula do Clima, já que o presidente Jair Bolsonaro decidiu não comparecer ao evento.

#No apagar das luzes 

Rosângela Santos, medalhista de bronze nas Olimpíadas de Pequim no revezamento 4x100m feminino, foi dispensada do clube em que treinava, o Pinheiros, após o ciclo olímpico. 

A atleta teve que virar motorista de aplicativo para conseguir pagar as contas em casa. O caso de Rosângela expõe a realidade dos atletas longe dos holofotes das Olimpíadas, em que muitos são dispensados de seus clubes, perdem patrocínio e local de treino, dificultando sua preparação e sua dedicação exclusiva para o próximo ciclo olímpico. Também medalhista olímpico, o nadador Bruno Fratus lamentou essa situação em que muito atletas estão inseridos: “passada a euforia olímpica, é isso que (quase sempre) sobra”

#Pequeno gênio 

Gustavo Saldanha, de 8 anos, foi o brasileiro mais novo a ser aceito na Mensa International, clube internacional de pessoas com alto QI. Ele toca violão, guitarra, teclado, ukulele, baixo, bateria e gaita, e sabe quase todas as canções dos Beatles. Além de tudo, ele tem muita facilidade com a tecnologia, já até sabe instalar sistemas operacionais em computadores. A mãe de Gustavo, Luciane Saldanha, contou que na pandemia o filho adquiriu um novo hobby, transformar o sistema Windows em Mac. Não foi à toa que o menino foi aceito no clube de gênios.

#Então é Natal? 

Logo no dia 1º de novembro, a famosa música da Mariah Carey “All I Want for Christmas Is You” já estava subindo no top 50 norte-americano do Spotify. Isso porque é costume nos Estados Unidos, no dia seguinte ao Halloween, as pessoas montarem a árvore de natal ao som de canções natalinas. A própria cantora compartilhou em suas redes sociais um vídeo celebrando a passagem do Halloween para o Natal ao som de “All I Want for Christmas Is You”. Porém, o amor pela música da Mariah não é compartilhado por todos. Um bar no Texas colou um aviso na parede que dizia ser proibido tocar a canção antes do dia 1º de dezembro e, depois desse dia, a música só vai poder tocar uma vez por noite. Incompreendido ou amargurado demais, eis a questão.

#Confusão em campo 

Imagem ilustrativa da imagem TRENDS DA SEMANA - COP26, pequeno gênio e Ifood hackeado Imagem ilustrativa da imagem TRENDS DA SEMANA - COP26, pequeno gênio e Ifood hackeado
|  Foto: Raul Pereira / AFP
 

Infelizmente, brigas entre torcidas é algo que comum, dentro e fora do estádio. Mas neste último final de semana no jogo entre Grêmio e Palmeiras a briga escalou para uma invasão dos torcedores do tricolor gaúcho ao campo, onde depredaram a Arena, o VAR, agrediram a impressa e os trabalhadores. O jogo do Brasileirão acabou com a derrota do Grêmio por 3 a 1, com um gol do time gaúcho anulado pelo VAR. A transmissão também captou troca de ofensas e tentativas de agressões entre as torcidas na arquibancada. Até o momento ainda não se sabe a punição que o time irá ter, mas a previsão é que o clube precise pagar pelos danos e uma indenização a CBF, além de perder o mando de campo em algumas partidas do campeonato. 

#Halloween ou carnaval 

Imagem ilustrativa da imagem TRENDS DA SEMANA - COP26, pequeno gênio e Ifood hackeado Imagem ilustrativa da imagem TRENDS DA SEMANA - COP26, pequeno gênio e Ifood hackeado
|  Foto: iStock
 

Com a comemoração do dia das bruxas, também conhecido como halloween, no domingo dia 31 e um recesso e feriado nos dias 01 e 02 de novembro, as fantasias tomaram conta das redes sociais. Muitas pessoas se vestiram de animais, personagens e fantasias comuns. Isso gerou uma polemica, é halloween ou carnaval? Já que tradicionalmente as fantasias do dia das bruxas são mais macabras e assustadoras.  Este ano sem carnaval de rua algumas pessoas resolveram tirar as fantasias do fundo do guarda roupa para aproveitar esse momento para usar a velha fantasia, glitter e se reunir com os amigos e família. No final, fantasia de halloween ou carnaval não importa quando a alegria é o que está em alta!

#Ifood hackeado 

Imagem ilustrativa da imagem TRENDS DA SEMANA - COP26, pequeno gênio e Ifood hackeado Imagem ilustrativa da imagem TRENDS DA SEMANA - COP26, pequeno gênio e Ifood hackeado
|  Foto: iStock
 

Restaurantes do Ifood tiverem seus nomes modificados no aplicativo para frases apoiando o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), contra outros partidos e candidatos e de chacota, na noite de terça-feira (3). A empresa afirmou em nota que culpado é um funcionário de prestadora de serviços com permissão para modificar informações dos restaurantes e o fez de forma indevida. O Ifood garantiu que não houve vazamento de dados dos clientes, entregadores ou restaurantes. Os 6% dos estabelecimentos afetados já tiveram seus nomes corretos reestabelecidos. 

*Supervisão da editora Patricia Maria Alves

LEIA TAMBÉM:

Tragédia no set: como são feitas cenas de ação na dramaturgia - Morte da diretora Halyna Hutchins gera comoção e protestos nos Estados Unidos, além de dúvidas sobre uso de armas reais em filmagens