|
  • Bitcoin 141.935
  • Dólar 4,8850
  • Euro 5,1568
Londrina

Folha 2

m de leitura Atualizado em 29/03/2022, 12:06

Paranaense Elifas Andreato morre aos 76 anos

Nascido em Rolândia e considerado um dos maiores artistas gráficos do Brasil, ele faleceu na manhã desta terça-feira (29)

PUBLICAÇÃO
terça-feira, 29 de março de 2022

Marcos Roman - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

menu flutuante
Imagem ilustrativa da imagem Paranaense Elifas Andreato morre aos 76 anos Imagem ilustrativa da imagem Paranaense Elifas Andreato morre aos 76 anos
|  Foto: Divulgação
Autor de centenas de capas de discos dos maiores nomes da Música Popular Brasileira, o artista gráfico paranaense faleceu na manhã desta terça-feira, aos 76 anos. A causa da morte ainda não foi informada pela família. O falecimento foi informado através das redes sociais pelo dramaturgo Elias Andreato, irmão dele. 

"O meu irmão criador de tantas maravilhas era também um anjo desenhador, que veio a este mundo para colorir nossas vidas e pintar nossos sonhos de amor...E quando os homens forem amigos dos homens, vou saber que o meu irmão não sonhou em vão.Que o país que ele imaginou, possa ser colorido para todos! Que a política do seu traço, seja homenageada sempre! Meu irmão, você retratou o que o nosso povo tem de mais belo: A DIGNIDADE! Irmão meu amado, você coloriu meu coração”, escreveu Elias ao comunicar a morte do irmão.  

O falecimento do artista gráfico foi lamentado por diversos artistas, entre eles a apresentadora Adriane Galisteu e as atrizes Letícia Sabatella e Beth Goulart.  

Nascido em Rolândia, em 22 de janeiro de 1946, Elifas Andreato. Ainda na adolescência começou a produzir pequenas esculturas com materiais que encontrava no lixo. Após a mudança da família para São Paulo, trabalhou como operário em uma fábrica de fósforos, período em que passou a fazer caricaturas e a pintar murais. Anos mais tarde foi contratado pela Editora Abril, onde ganhou destaque por ter feito, em 1970, a coleção de fascículos História da Música Popular Brasileira.  

Leia mais: Desenhando a MPB há mais de meio século

Em cinco décadas de trajetória artística, assinou ilustrações de mais 300 capas de discos de artistas como Chico Buarque, Elis Regina, Adoniran Barbosa, Paulinho da Viola, Martinho da Vila, Toquinho e Vinicius de Moraes.  

Receba nossas notícias direto no seu celular, envie, também, suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1