|
  • Bitcoin 107.368
  • Dólar 5,2680
  • Euro 5,5422
Londrina

Folha 2

m de leitura Atualizado em 05/03/2022, 10:14

Morre o violonista Israel Laurindo em Londrina

Exímio violonista e professor, ele faleceu nesta sexta-feira (4), causando comoção no meio musical

PUBLICAÇÃO
sexta-feira, 04 de março de 2022

Celia Musilli - Editora
AUTOR autor do artigo

Foto: Acervo pessoal
menu flutuante

O violonista e compositor Israel Laurindo faleceu nesta sexta-feira (4) em Londrina.

Sua morte causou comoção no meio musical, entre os amigos e o público que acompanharam sua carreira e shows pela cidade.

Laurindo lançou em 2020 o CD "Dois Oceanos", com Emily Tam; em 2019 também havia lançado o EP "Jeringonza", com Angelo Ursini  e Felipe Siles, ambos pela gravadora Uiarobi.

No ano passado, durante a fase aguda da pandemia, ele convidou amigos para gravar vídeos fazendo apresentações diárias na internet com artistas de várias partes do Brasil. Essa foi sua forma de superar o isolamento imposto pelo coronavírus. Em entrevista à FOLHA, em abril de 2020, ele comentou sobre a iniciativa: "Eu já tinha experiência com edição de vídeo e como tive contato com cantores de outras cidades, decidi gravar vídeos deles cantando comigo ao violão.” Escolheu assim uma maneira combater a solidão durante a quarentena, disse.

LEIA MAIS

Um violão contra a solidão

Um show bem brasileiro

O instrumentista trabalhava profissionalmente há 20 anos e foi responsável , entre outros eventos, pela direção musical do Samba da Madrugada, que se firmou como um grande ponto de encontro de artistas locais e de outras partes do País. 

Em 2019, Laurindo participou do show "Eu Já Fui Brasileiro", em parceria com o músico e compositor Bernardo Pellegrini, atual secretário da Cultura de Londrina.  O show foi apresentado em comemoração aos 40 anos do Bar Valentino e também em outros bares. 

Dedicado ao choro, entre outros gêneros musicais, exímio violonista e professor de violão, Laurindo era formado em Composição e Regência pela Unicamp, e tinha aprovado recentemente um projeto pelo Promic - Programa Municipal de Incentivo à Cultura - para formar uma orquestra camponesa com jovens sem terra do acampamento Eli Vive. Sua trajetória artística era admirada por  todos os que conheceram seu talento.

Seu corpo foi velado na Acesf, em Londrina, nesta sexta-feira (4), segundo nota publicada nas redes sociais,  e seguiu para sepultamento em Descalvado (SP), cidade natal do músico.  

...

Receba nossas notícias direto no seu celular, envie, também, suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1