INJÚRIA RACIAL -

Brusque diz que Celsinho fez "falsa imputação de crime" e volta atrás


Vitor Ogawa - Grupo Folha
Vitor Ogawa - Grupo Folha

A diretoria do Brusque emitiu dois comunicados oficiais relacionados à declaração do meia Celsinho de que teria sido vítima de injúria racial durante a partida do Londrina contra o Brusque, no estádio Augusto Bauer, em Santa Catarina, em partida válida pela 21ª rodada da Série B, realizada no sábado (28) . No primeiro deles, divulgado na noite de domingo, a diretoria se isentou de ter cometido qualquer ato racista e atribuiu a Celsinho a culpa por falsa alegação de crime. No segundo texto, publicado nesta segunda-feira (30), finalmente o clube pediu desculpas admitindo o  posicionamento equivocado. 

O episódio que desencadeou a reclamação do jogador aconteceu durante o primeiro tempo da partida e, no intervalo, o jogador chamou o quarto árbitro do jogo e indicou qual pessoa fez as ofensas.



 

No comunicado oficial do Brusque, a diretoria afirma que "tomará todas as medidas cabíveis para a responsabilização do atleta pela falsa imputação de um crime."
No comunicado oficial do Brusque, a diretoria afirma que "tomará todas as medidas cabíveis para a responsabilização do atleta pela falsa imputação de um crime." | Reprodução/Brusque FC
 


Em entrevista ao repórter do SporTV, ao ser questionado se teria sido chamado de macaco, o jogador disse: "De fato aconteceu. Não sei se ele faz parte da comissão técnica, da diretoria, um senhor de vermelho no camarote. Também não entendo por que tem tantas pessoas assim em um protocolo que não estão liberados os jogos para os torcedores. É lamentável."


O árbitro da partida contra o Brusque, Fábio Augusto Santos Sá Junior, relatou na súmula que as ofensas de injúria racial contra o meia Celsinho foram cometidas por uma pessoa que estava na arquibancada do estádio Augusto Bauer. Segundo descreveu o árbitro, o homem teria dito: “Vai cortar esse cabelo, seu cachopa de abelha.” O episódio foi confirmado por Celsinho e pelo gerente de futebol, Germano Schweger. O coordenador da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), Ricardo Luiz, identificou o autor das ofensas como sendo um dos membros do estafe do Brusque. 


Leia também: 

LEC publica nota de repúdio contra episódio de racismo

Conselheiro do Brusque afirma que ninguém ofendeu Celsinho

Invertendo a lógica, no primeiro comunicado oficial do Brusque a diretoria afirmou que tomaria "todas as medidas cabíveis para a responsabilização do atleta pela falsa imputação de um crime." Naquela nota, a diretoria do clube, o atleta é conhecido por se envolver neste tipo de episódio. "Esta foi pelo menos a 3ª vez, somente este ano, que ele alega ter sido alvo de racismo, caracterizando verdadeira 'perseguição' ao mesmo."  


O comunicado repercutiu mal e logo a hashtag #racistas ficou entre as mais comentadas do Twitter, alegando que o texto oficial do clube foi preconceituoso. Logo o jogador e o Londrina prometeram tomar providências contra as injúrias. 


Ao ver o estrago feito pelo texto equivocado, o Brusque emitiu tardiamente um novo comunicado com um pedido de desculpas, no qual afirma que o clube "sempre foi e será contra qualquer tipo de discriminação causada por diferenças ideológicas, crença, raça ou gênero, possuímos uma história constituída pela responsabilidade, respeito, transparência e muito trabalho."


A nota pede que as pessoas entendam o momento infeliz que está vivendo. "Cabe a nós, humildemente reconhecer o erro da nota anterior e pedir desculpas mais uma vez ao atleta Celsinho e a compreensão de todos."


"O Brusque FC tomará todas as medidas cabíveis diante do ocorrido e vai apurar os fatos."


A assessoria do STJD falou que todas as denúncias registradas em súmula são analisadas pela Procuradoria e que ainda não tem um prazo para que esse caso seja analisado, mas a assessoria explicou que Procuradoria ainda não estabeleceu a quem oferecerá a denúncia e nem em que artigo o caso pode ser enquadrado. A denúncia deve ser feita em até 30 dias, mas ainda não há ideia de quando isso pode ocorrer e nem em quanto tempo isso poderá ser analisado.


 

"O Brusque F.C. reitera que nenhum de seus diretores praticou qualquer ato de racismo e tomará todas as medidas cabíveis para a responsabilização do atleta pela falsa imputação de um crime."
"O Brusque F.C. reitera que nenhum de seus diretores praticou qualquer ato de racismo e tomará todas as medidas cabíveis para a responsabilização do atleta pela falsa imputação de um crime." | Reprodução/Brusque FC
 



Confira a primeira nota do Brusque na íntegra:

“O atleta Celso Honorato Júnior, reserva do Londrina E.C., relatou à imprensa que teria sido chamado de “macaco” por membros da Diretoria do Brusque F.C., durante o jogo realizado ontem (28/08).


O Brusque F.C., sua torcida, diretoria, comissão técnica e patrocinadores sempre foram, ao longo da sua história, absolutamente respeitosos com relação a todos os princípios que regem as relações desportivas e humanas. Jamais permitiríamos qualquer atitude de conotação racista em nosso Clube, que condena veementemente qualquer pensamento ou prática nesse sentido.


O atleta, por sua vez, é conhecido por se envolver neste tipo de episódio. Esta é pelo menos a 3a vez, somente este ano, que alega ter sido alvo de racismo, caracterizando verdadeira “perseguição” ao mesmo. Importante esclarecer que, ao árbitro, o atleta não relatou ter sido chamado de “macaco”, mas sim que teriam dito “vai cortar esse cabelo de cachopa de abelha”, o que constou da súmula e revela a total contradição nos seus relatos.


O Brusque F.C. reitera que nenhum de seus diretores praticou qualquer ato de racismo e tomará todas as medidas cabíveis para a responsabilização do atleta pela falsa imputação de um crime. Racismo é algo grave e não pode ser tratado como um artificio esportivo, nem, tampouco, com oportunismo.


A Diretoria.”


Confira a segunda nota do Brusque na íntegra:

"O Brusque Futebol Clube diante do ocorrido vem respeitosamente pedir desculpas ao atleta Celso Honorato Junior pelo transtorno causado a sua pessoa, a nossa torcida, simpatizantes, patrocinadores e imprensa devido ao nosso posicionamento equivocado.


Nosso clube sempre foi e será contra qualquer tipo de discriminação causada por diferenças ideológicas, crença, raça ou gênero, possuímos uma história constituída pela responsabilidade, respeito, transparência e muito trabalho.


Esperamos que entendam esse momento infeliz que estamos vivendo, cabe a nós, humildemente reconhecer o erro da nota anterior e pedir desculpas mais uma vez ao atleta Celsinho e a compreensão de todos.


O Brusque FC tomará todas as medidas cabíveis diante do ocorrido e vai apurar os fatos.


Brusque Futebol Clube

Presidente Danilo Rezini"


Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo