|
  • Bitcoin 142.259
  • Dólar 4,8176
  • Euro 5,1722
Londrina

Professor

m de leitura Atualizado em 06/04/2022, 18:18

Adilson evita citar meta de pontuação na Série B: "é jogo a jogo"

Treinador diz ter ciência do número ideal para buscar acesso ou fugir do rebaixamento, mas prefere pensar estratégia por rodada

PUBLICAÇÃO
quinta-feira, 07 de abril de 2022

Diego Prazeres - Editor
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

É normal que os treinadores projetem metas de pontuação pensando na trajetória de suas equipes em uma competição que se promete bastante equilibrada, como a Série B deste ano. No caso do Londrina, Adilson Batista diz ter plena consciência do “número ideal” para buscar o acesso ou a fuga do rebaixamento.

Londrina vai estrear a nova camisa no jogo de domingo contra o Náutico Londrina vai estrear a nova camisa no jogo de domingo contra o Náutico
Londrina vai estrear a nova camisa no jogo de domingo contra o Náutico |  Foto: Ricardo Chicarelli/LEC
  

Só que ele prefere planejar a caminhada da equipe jogo a jogo. “Tem que trabalhar jogo a jogo e pensar que cada um é uma decisão", definiu o treinador à FOLHA, citando as seis primeiras rodadas já definidas pela CBF. “Temos seis jogos difíceis de início, com três viagens, questão de logística, dois adversários tradicionais, campeões brasileiros, que são Cruzeiro (4ª rodada) e Bahia (6ª rodada), mas não adianta ficar pensando no que tem que fazer. Tem que vivenciar jogo a jogo e entender se naquele jogo 1 ponto é bom, se há necessidade de arriscar para conseguir 3 pontos...”, afirmou. 

Leia também

Relembrando conquistas históricas, LEC lança nova camisa 

Adilson Batista sonha alto e quer Londrina na série A

Presente na cerimônia de lançamento do novo uniforme do Tubarão na Série B, realizada terça à noite (5), na ExpoLondrina, no dia em que o clube comemorou 66 anos, Adilson tirou fotos com torcedores e foi citado pelo gestor Sérgio Malucelli como “técnico de Série A”. Questionado pela reportagem se o Londrina muda de patamar com ele no banco, o treinador respondeu que “tudo depende do material humano”.

E acrescentou: “Desde 2001 sou treinador, joguei em grandes clubes, trabalhei com grandes profissionais, tive grandes mestres, como seu Ênio Andrade, seu Rubens Minelli, Felipão, são vários treinadores que sempre me agregaram, também sou um estudioso do futebol, adoro estudar e ver futebol. Agora, nós dependemos do material humano, do jogador, a decisão é dele. Você transporta, faz, mostra, ali no campo ele precisa executar", pontuou. 

E nesse aspecto, Adilson Batista se mostrou satisfeito com o que tem visto nos treinamentos de preparação para a Série B. Ele citou Cruzeiro e Grêmio como os times que estão “mais arrumados”, mas destacou que há um equilíbrio entre as demais equipes e que não há o que temer.

“Dentro da minha cabeça, vejo muita igualdade, não tem esse fora de série, dá pra competir. Existem erros, desatenção, falhas, que temos que observar, mas o que vai ser pedido, o que o torcedor pode ter consciência, é que será um time organizado, disciplinado, intenso, veloz, com forte marcação, transição, com alguns cuidados na bola parada. São detalhezinhos que alguns conseguem o acesso e você fica no meio do caminho, é assim que estou pensando", disse. 

Preparação

O Londrina faz mais três treinamentos para fechar a preparação para a estreia na Série B, no domingo (10), às 11h, contra o Náutico, no estádio do Café. A tendência é que Adilson Batista mantenha a base da equipe que jogou as últimas duas partidas do Paranaense contra o Athletico. 

A grande novidade será o centroavante Gabriel Santos. O jogador foi uma das contratações para o Brasileiro e tem agradado nos treinamentos. Inclusive, marcou um gol no último jogo-treino diante do Apucarana Sports. (Colaborou Lucio Flávio Cruz/Reportagem Local)

Receba nossas notícias direto no seu celular, envie, também, suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link