|
  • Bitcoin 110.392
  • Dólar 5,2344
  • Euro 5,5071
Londrina

Economia

m de leitura Atualizado em 17/05/2022, 17:47

Pequenas empresas ganham ‘folêgo’ pós-pandemia com o Compra Londrina

Programa que cria oportunidades para empresários locais, integra o Plano Municipal de Retomada Econômica e é finalista em prêmio do Sebrae

PUBLICAÇÃO
quarta-feira, 18 de maio de 2022

Micaela Orikasa - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

Foto: Micaela Orikasa - Grupo Folha
menu flutuante

Com o objetivo de criar um ambiente de negócios qualificado e fazer a roda da economia local girar, o Compra Londrina, estratégia que ganhou força junto ao Plano Municipal de Retomada Econômica, começou a mostrar bons resultados. O programa vem incentivando e criando oportunidades para que as pequenas empresas retomem os planos de negócios, após dois anos de incertezas e prejuízos causados pela pandemia do coronavírus.  

O estímulo é para que os empresários locais disputem nas licitações de compras em órgãos públicos. Um trabalho que requer alguns primeiros passos, já que boa parte do público-alvo nunca participou de um processo licitatório antes e/ou possui pouco conhecimento sobre. 

Sendo assim, a inciativa conta com um serviço de Telecompra, ou seja, uma busca ativa feita junto às empresas quando uma licitação está prestes a ser lançada. Para que as empresas possam participar com mais chances de vencer o processo, um conjunto de licitações conta com uma regra de preferência para empresas locais ou da região metropolitana. A medida é legal e amparada pelo decreto municipal 753/2017, que institui o programa.  

“Com esta regra de preferência, as empresas de fora não conseguem disputar, ao menos que nenhuma empresa de Londrina entre na disputa. Fizemos uma lista de 50 produtos e serviços locais que podem ser negociados junto à prefeitura como, por exemplo, flores, manutenção de ar-condicionado, lanches, refeições, papelaria, entre outros”, explica o coordenador do Compra Londrina, Marcelo Frazão, ao citar que a Prefeitura de Londrina chega a comprar mais de R$ 300 milhões por ano, em todos os segmentos da economia. “De agulha a caminhão”. 

DO ZERO 

Para participar nas licitações, as empresas de Londrina são convidadas a participar de oficinas on-line para que aprendam "do zero" sobre todas as etapas, dinâmica e documentação. Em 2021, o Compra Londrina promoveu 16 oficinas para 152 empresas interessadas.  Outra facilidade, segundo Frazão, é o pregão por videoconferência, através de um chat. “A empresa entrega os documentos e disputa em videoconferência. É diferente do pregão eletrônico e foi uma forma de facilitar o processo”, diz.  

Alexander Thomaz da Rosa, diretor na Webgraph Alexander Thomaz da Rosa, diretor na Webgraph
Alexander Thomaz da Rosa, diretor na Webgraph |  Foto: Gustavo Carneiro
 

O empresário Alexander Thomaz da Rosa, diretor na Webgraph, lembra que recusou o primeiro convite feito pelo serviço de telecompra, por falta de informação. “Achávamos muito difícil o processo licitatório e tínhamos a ideia de que prestar serviço para o poder público seria burocrático. Também tínhamos medo de inadimplência”, explica.  

A gráfica existe há 15 anos e desde outubro de 2021 até agora, já venceu quatro licitações para a produção de materiais gráficos. Uma ajuda que tem aberto outro nicho de mercado, segundo Rosa, já que empresa sempre atendeu, principalmente o segmento de saúde como clínicas odontológicas. “É uma experiência muito boa e o programa se mostrou excelente porque nos ajudou a entender e desmistificar todo o processo de licitação”, ressalta.  

TODOS GANHAM 

A UEL (Universidade Estadual de Londrina) elaborou um estudo a pedido do programa para traçar o impacto na economia local. O levantamento considerou que a cada R$ 53,5 milhões de compras são gerados 401 empregos, R$ 8,5 milhões em salários para trabalhadores do município e até R$ 12,5 milhões em impostos municipais, estaduais e federais. “Quantia suficiente para abrir 165 novas micro e pequenas empresas na cidade”, comenta o coordenador do Compra Londrina.  

Nos três primeiros meses de 2022, a Prefeitura fechou 95 licitações, o que representa R$ 118.518.036,65 aplicados em negócios de produtos, serviços e obras.  Desse total, 54,54% ficou com empresas de Londrina, o equivalente a R$ 64.637.187,72. O valor arrematado por empresas de outros municípios ficou em R$ 53.880.848,93 (45,46% do negociado). 

Ao todo, no mesmo período, foram contratadas 53 empresas de Londrina, sendo 42 Microempresas e Empresas de Pequeno Porte. Cinco delas venceram uma compra pública na Prefeitura de Londrina, pela primeira vez. Uma delas é a Condor Pinturas, de Sandro Luciano das Neves.

Ele conta que antes da pandemia mantinha um fluxo contínuo de serviços, chegando a empregar 23 funcionários até o final de 2019. “Os contratos finalizaram e fizemos o desligamento certinho de todos os funcionários com a intenção de recontratá-los em março de 2020. Só que a gente não contava com a pandemia, que acabou com nossos planos. Ficamos praticamente dois anos sem pintar um único metro quadrado. Foi no momento de desespero que pensei que a licitação poderia ser uma saída e uma pesquisa na internet me levou até o Compra Londrina”, relata o empresário.  

Neves estava com mais de R$ 100 mil em saldo devedor e hoje está conseguindo quitar porque venceu uma licitação da Prefeitura para pintura de escolas municipais. O contrato é de um ano, podendo ser prorrogado por até cinco. Os serviços começaram há 45 dias e até o final deste ano, deverão ser atendidas 50 escolas.  

“Consegui reverter toda a situação, reativando a empresa e voltando para o mercado. Fui incentivado a participar do programa e no mesmo dia já me sentia um outro homem. Tenho a empresa desde 1995 e participar de uma licitação só aconteceu agora, como uma luz no fim do túnel”, salienta.  

Imagem ilustrativa da imagem Pequenas empresas ganham ‘folêgo’ pós-pandemia com o Compra Londrina Imagem ilustrativa da imagem Pequenas empresas ganham ‘folêgo’ pós-pandemia com o Compra Londrina
|  Foto: Micaela Orikasa - Grupo Folha
  

PRÊMIO SEBRAE 

Os bons resultados desta iniciativa colocou a Prefeitura de Londrina entre os finalistas do XI Edição do Prêmio Prefeito Empreendedor, do Sebrae. Os dois projetos inscritos pelo Município, Compra Londrina e Ecossistema de Inovação, estão entre os três mais bem avaliados nas categorias Compras Governamentais e Inovação e Sustentabilidade, respectivamente. 

Os vencedores serão anunciados no dia 31 de maio, em Curitiba, e avançarão para a disputa nacional, em 28 de junho, representando o Paraná. Nesta edição, 89 municípios paranaenses se inscreveram para as oito categorias do Prêmio. "O objetivo do Sebrae é ter um programa de reconhecimento aos prefeitos e administradores regionais que implantaram projetos com resultados comprovados com foco no desenvolvimento dos pequenos negócios do município”, afirma o consultor do Sebrae Paraná, Sergio Ozorio. 

Para o secretário municipal de Gestão Pública, Fábio Cavazotti, o Compra Londrina ajudou a reverter um estigma presente em parte do empresariado local, que não considerava como uma boa opção firmar contratos com o poder público. “O Programa conseguiu reverter esse estigma e mostrou, ao empresariado londrinense, que fazer negócios com o poder público pode ser uma boa oportunidade de aumentar o faturamento, ajudar no crescimento das empresas e na geração de renda. O principal ganho obtido com o Compra Londrina foi a mudança do ambiente de negócios”, destaca. 

Leia mais: Paraná é o terceiro mais ágil na abertura de empresas

COMO PARTICIPAR 

Através do site do Compra Londrina, as empresas interessadas encontrarão todas as licitações em aberto. Para participar, é necessário fazer um cadastro no próprio site. Atualmente, o Compra Londrina possui mais de mil empresas cadastradas. O Compra Londrina é um programa da Secretaria Municipal de Gestão Pública, em parceria com a Acil (Associação Comercial e Industrial de Londrina), Sebrae e OGPL (Observatório de Gestão Pública de Londrina). (Com N.Com)  

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.