|
  • Bitcoin 102.844
  • Dólar 5,3317
  • Euro 5,5605
Londrina

Economia

m de leitura Atualizado em 09/06/2022, 00:01

Evento divulga resultados do Programa Compra Londrina

Empresários contam como as vendas à prefeitura abriram o caminho para o desenvolvimento de seus negócios

PUBLICAÇÃO
quinta-feira, 09 de junho de 2022

Simoni Saris - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

Foto: Emerson Dias - N.Com
menu flutuante

Simplificar o caminho entre empresas londrinenses e os processos licitatórios abertos pela prefeitura  foi a maneira encontrada pela administração municipal para ajudar a desenvolver a economia local, gerando empregos e elevando a arrecadação tributária. No primeiro trimestre de 2022, o Programa Compra Londrina concluiu 95 licitações para compra de produtos e contratação de serviços e obras que, juntas, alcançaram o valor total de mais de R$ 118,5 milhões. Mais da metade desse total, ficou com empresas locais, o que corresponde a R$ 64,6 milhões. 

O superintendente do Grupo Folha, José Nicolás Mejía, lembrou que desde o primeiro Encontros Folha, em 2010, a empresa tenta contribuir com as discussões sobre formas de tirar o município da estagnação econômica e destacou a importância do Compra Londrina nesse processo O superintendente do Grupo Folha, José Nicolás Mejía, lembrou que desde o primeiro Encontros Folha, em 2010, a empresa tenta contribuir com as discussões sobre formas de tirar o município da estagnação econômica e destacou a importância do Compra Londrina nesse processo
O superintendente do Grupo Folha, José Nicolás Mejía, lembrou que desde o primeiro Encontros Folha, em 2010, a empresa tenta contribuir com as discussões sobre formas de tirar o município da estagnação econômica e destacou a importância do Compra Londrina nesse processo |  Foto: Emerson Dias - N.Com
 

Os editais públicos representaram a luz no fim do túnel para muitos empresários que tiveram queda drástica na demanda por serviços e na receita em razão da pandemia. Mas também contribuíram para aumentar a arrecadação. Dos R$ 64,6 milhões, R$ 14,9 foram recolhidos em impostos estaduais, municipais e federais.

Na manhã desta quarta-feira (8), a prefeitura realizou a Mostra de Oportunidades e Resultados do Programa Compra Londrina da qual participaram representantes de empresas locais vencedoras das concorrências públicas, além de autoridades políticas, a presidente da Acil (Associação Comercial e Industrial de Londrina), Marcia Manfrin, o presidente da Faciap (Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná), Fernando Moraes, e o gerente regional Norte do Sebrae, Fabrício Bianchi.  

Sócio da vidraçaria Martinoti & Oliveira, Fernando Vagner Oliveira venceu a primeira licitação municipal há cinco anos e, atualmente, mantém um contrato no valor de R$ 2,7 milhões para fornecer vidros para os prédios públicos de Londrina, incluindo escolas. Com as vendas ao município, a empresa registrou um crescimento econômico de 300% e um incremento de 300% no quadro de funcionários.  

Hoje, os negócios com a prefeitura correspondem a 80% do faturamento anual da empresa, mas Oliveira não considera um risco apostar tantas fichas em um único comprador. “Tínhamos muito problema no passado, quando as prefeituras não tinham responsabilidade fiscal e atrasavam os pagamentos. Com a Prefeitura de Londrina, isso não acontece. Em 15, 20 dias, o dinheiro está na conta.” 

O prefeito Marcelo Belinati destacou a complexidade na operacionalização do Programa Compra Londrina, que fraciona as licitações, mas também salientou a importância de estruturar o programa, com uma equipe trabalhando em tempo integral para fomentar a iniciativa, e a parceria com o Sebrae, que garante a orientação e a capacitação dos empresários para que estejam aptos a entrar nas disputas públicas. “Temos mais empresas londrinenses vencendo porque temos mais londrinenses participando. Os R$ 64,6 milhões pagos às empresas locais ficam aqui na cidade, gerando empregos, pagando salários. O dinheiro circula por oito outras empresas antes de sair da cidade”, observou. 

Durante o evento, Belinati anunciou que pretende encaminhar à Câmara Municipal um projeto de lei para criar dentro da Secretaria Municipal de Gestão Pública uma estrutura que garanta o ordenamento do programa e a sua continuidade independente de quem serão os administradores futuros.  

O superintendente do Grupo Folha, José Nicolás Mejía, lembrou que desde o primeiro Encontros Folha, em 2010, a empresa tenta contribuir com as discussões sobre formas de tirar o município da estagnação econômica e destacou a importância do Compra Londrina nesse processo. Segundo ele, inicialmente havia a preocupação de que o incentivo à participação de empresas locais nas concorrências públicas pudesse criar um protecionismo, mas isso não aconteceu. “O programa foi feito de forma correta e há muito tempo não temos que noticiar grandes dúvidas em relação aos processos licitatórios.”  

" O programa incentiva e cria atrativos para empresas locais participarem e traz capacitação”, afirma o secretário municipal de Gestão Pública, Fábio Cavazotti " O programa incentiva e cria atrativos para empresas locais participarem e traz capacitação”, afirma o secretário municipal de Gestão Pública, Fábio Cavazotti
" O programa incentiva e cria atrativos para empresas locais participarem e traz capacitação”, afirma o secretário municipal de Gestão Pública, Fábio Cavazotti |  Foto: Emerson Dias - N.Com
 

“O protecionismo é uma preocupação antiga, mas o processo licitatório tem as suas regras e tem que ter um ambiente de competitividade. O que o programa faz não é limitar a participação das empresas de fora, o que seria um problema. O programa incentiva e cria atrativos para empresas locais participarem e traz capacitação”, esclareceu o secretário municipal de Gestão Pública, Fábio Cavazotti, destacando que no momento da disputa não há qualquer favorecimento a empresas locais. Elas têm que participar, cumprir o edital e oferecer o menor preço para vencer a concorrência. Do total de empresas contratadas pelo município, 45% são de fora. 

No momento em que o Compra Londrina passa por um processo de consolidação e reconhecimento, dois desafios são apontados por Cavazotti a serem vencidos para que possa avançar ainda mais. Um deles diz respeito ao quadro de funcionários. Atualmente, já se sente a falta de servidores e mão de obra. “As empresas estão vindo cada vez mais e já temos dificuldade de fazer esse atendimento.” 

Leia mais: https://www.folhadelondrina.com.br/politica/camara-autoriza-prefeitura-a-obter-emprestimo-de-ate-r100-mi-para-obras-3206516e.html

Outra questão é conseguir atrair fornecedores locais de alguns setores ainda “descobertos”, como a construção civil. “Já aumentou, temos hoje várias empresas construtoras locais que são fornecedoras, mas é um segmento que a gente vê possibilidade de aumentar e mesmo quando a empresa de fora vence, a gente tem como colocar no edital que serviços acessórios, como jardinagem e pintura, que vão ser subcontratados, que sejam feitos por empresas locais. A área da construção civil está no nosso radar.” 

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.