|
  • Bitcoin 125.764
  • Dólar 5,1373
  • Euro 5,3152
Londrina

Economia

m de leitura Atualizado em 30/06/2022, 15:24

Cesta básica tem redução de 6,6% em Londrina

Pesquisa realizada pelo Nupea da UTFPR em 11 supermercados da cidade mostra preço médio de R$ 570,06 para os 13 itens que compõem cesta

PUBLICAÇÃO
quinta-feira, 30 de junho de 2022

Reportagem local
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

O valor da cesta básica em Londrina apresentou queda de 6,6% em relação a maio, fechando a R$ 570,06 contra R$ 610,58 no mês anterior, que apresentava uma redução de 0,27% em relação ao mês de abril. A pesquisa é realizada pelo Nupea (Núcleo de Pesquisas Aplicadas) da UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná)

Imagem ilustrativa da imagem Cesta básica tem redução de 6,6% em Londrina Imagem ilustrativa da imagem Cesta básica tem redução de 6,6% em Londrina
|  Foto: Roberto Custódio
 

Este é o valor médio (R$ 570,06) obtido a partir dos preços de onze supermercados. No entanto, o estudo aponta que se o consumidor se dispusesse a adquirir os produtos de menor preço em cada um dos supermercados pesquisados, conseguiria esta mesma cesta por R$ R$ 438,09 uma economia de 23,2%.

Mas, em uma situação mais real, se o consumidor comprar todas as mercadorias que compõem a cesta básica no supermercado que apresenta os menores preços pagará por ela R$ 502,03 ou 12% mais barato que a média, porém, se comprar naquele que estiver mais caro, pagará R$ 624,12 ou 9,5% mais caro que a média.

Dos 13 itens que compõem a cesta básica nacional, quatro deles apresentaram aumento nos preços em relação ao mês anterior: leite, farinha de trigo, feijão e margarina. Apresentou estabilidade de preço (variação inferior a 1%) a carne, o pão e o café. Os quatro produtos que apresentaram redução de preços foram: arroz, açúcar, óleo de soja, banana, tomate e batata.

A carne, que é o produto que tem maior peso na cesta básica (neste mês, 45,6%), apresentou redução em seu preço médio de 0,9% ficando na média a R$ 39,35 o quilo lembrando que na pesquisa passada estava a R$ 39,70 na média.

O preço mais barato encontrado foi de R$ 29,86 e mais elevado de R$ 45,90. A carne tem como referência sempre o coxão mole e se a peça for mais barata que fatiado é considerado o preço da peça.

Quando comparado com o valor da cesta básica de junho do ano passado, esta mostrou um aumento de 18,4%. Naquele mês ela foi adquirida pelo valor médio de R$ 481,58. Na comparação com o valor da cesta básica em 1° de janeiro, a cesta básica em

Londrina apresentou elevação de 6,1%.

LEIA TAMBÉM:
Com 911 vagas de emprego em maio, Londrina entra fase de recuperação

Taxa de desemprego fica abaixo de 10%, menor nível desde 2015

BRASIL

Mesmo com a leve desaceleração da inflação dos alimentos, a geladeira vazia continua a assombrar os lares brasileiros, e 1 em cada 4 avalia que a quantidade de comida disponível em casa era inferior ao necessário para alimentar sua família.

De acordo com pesquisa Datafolha feita na última semana, para 26% dos entrevistados, a comida disponível nos últimos meses era abaixo do suficiente, enquanto 62% julgaram ser suficiente e apenas 12% diziam acreditar ser mais do que o suficiente.

A pesquisa foi feita nos dias 22 e 23 de junho. Foram realizadas 2.556 entrevistas em todo o Brasil, distribuídas em 181 municípios. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

O percentual dos que não têm o bastante para colocar no prato mantêm-se no mesmo patamar desde maio, oscilando dentro da margem de erro.

A persistência do dado contrasta com a desaceleração da inflação. A alta de preços medida pelo IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15) subiu 0,69% em junho, sendo que o grupo alimentação e bebidas subiu 0,25%, após alta de 1,52% em maio. Em 12 meses, o acumulado é de 13,84%.

As famílias, no entanto, ainda não sentem esse movimento. Em 12 meses até maio, a inflação da cesta básica foi de 27%, segundo estudo da PUCPR. (Com Folhapress)

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.