|
  • Bitcoin 103.629
  • Dólar 5,3359
  • Euro 5,5329
Londrina

Luiz Geraldo Mazza

m de leitura Atualizado em 10/01/2022, 20:14

Pacau de bico

PUBLICAÇÃO
terça-feira, 11 de janeiro de 2022

Luiz Geraldo Mazza
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

Uma carta do presidente da Anvisa pedindo retratação de Bolsonaro pelas ameaças aos integrantes do órgão de Estado e que ganhou capilaridade nas redes sociais intimidando servidores e familiares por causa da aprovação da vacina para crianças de 5 a 11 anos é o tema de destaque em termos institucionais e pela circunstância de Barra Torres ser oficial da reserva das Forças Armadas. Na linguagem da sinuca um pacau de bico que joga o apostador em difícil saída. A maturidade da solicitação e seus fundamentos não garantem uma resposta em cima do laço, mas é um feito marcante da parte defensiva do Estado nas suas relações com o governo.

A prioridade

Na guerra a prioridade é a pandemia que revela baixa expressiva em mortes, em progressão aritmética, 44, entre sábado e domingo e 24.382 infecções, em progressão geométrica. Em duas semanas a média normal de Covid cresceu 2.000%, no Rio os testes positivos superaram 40%. Razões dai decorrentes levam resistentes que programavam carnaval ao óbvio recuo. Cresce atendimento a dependentes em 54% em um ano de pandemia. Destinos turísticos registram pico da Covid e gripe após Réveillon como deve ter ocorrido em Minas com os jogos do Atlético Mineiro com públicos de 70 mil torcedores e as celebrações ainda maiores de rua. De outro lado cresce a expectativa com o início da vacinação infantil, estando a pasta da Saúde a avaliar o uso da Coronavac na imunização, até agora não autorizada pela Anvisa.

LEIA TAMBÉM: 

- 84% das prefeituras do Paraná fizeram gastos indevidos em 2020

- Presidente do TJPR assume Conselho dos Tribunais de Justiça 

Sinais

Havia no início da semana no Paraná 8.221 vagas de emprego nas agências do trabalhador, quase 2 mil delas na Capital. O sinal é positivo para o reinício das atividades em meio ao ambiente de férias.

OAB, exame

Esmagadora maioria dos cursos de direito não aprova nem 30% no chamado exame da OAB. Apenas em 5,4% das instituições mais da metade dos alunos passam. 790 instituições, 80 estaduais, federais e municipais e 710 privadas foram avaliadas. Das que aprovaram apenas cinco delas são privadas. Nove em cada dez aprovam menos de 30% dos seus alunos nesse teste, contra o qual houve centena de ações rejeitadas e há a ideia de adotar o mesmo procedimento em relação a outros cursos e profissões.

Capitólio

A queda de canyon em Capitólio, MG, chocou o país pelo grande número de mortos. Mas perto dessa ocorrência houve a celebração de um ano da invasão do Capitólio pelos fanáticos trumpistas de ultradireita. Meu primeiro contacto com a expressão Capitólio se deu na juventude ginasial em estudos de latim e das guerras romanas e se dizia que fracassou a invasão pelo grasnar dos gansos que o protegiam. Lembro de uma cena de descrição de guerra em que as tropas estavam nas faldas da montanha ´´in aperto loco´´, circunstancial de lugar que significa ´´lugar aberto´´ e que um coleguinha, desavisado, traduziu como ´´um aperto louco´´.

Fome

O fim das férias escolares estão reacendendo o temor da fome na principal unidade federativa do Brasil, São Paulo. Sem merenda e com o fim do auxílio alimentação durante a pandemia cresce o temor nas famílias que não conseguiram recuperar o emprego e renda e ficam dependentes das doações como as patrocinadas pela Cufa, Central Única das Favelas.

A merenda escolar foi o primeiro instrumento, muito antes do Bolsa Família, para estímulo à presença nas escolas e segundo a secretaria estadual de educação paulista oferta da merenda teria sido até 23 de dezembro no encerramento do ano letivo.

Folclore

De cartas a história política brasileira está cheia, mas essa do Barra Torres, presidente da Anvisa, ao presidente Bolsonaro é de agudo senso político e cobra o menor índice de corrupção que houver sobre ele apelando para que ´´não perca tempo nem prevarique´´´.

A opinião do colunista não reflete, necessariamente, a da FOLHA 

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.