DOMINGOS PELLEGRINI -

Gata na gaveta


É espantoso pensar que todas as raças de cachorros descendem do lobo europeu. Mas mais espantoso é que os gatos domésticos, Felis silvestres catus, são todos descendentes do Felis silvestres lybica, primeiro tipo de gato doméstico surgido no Oriente Médio há uns 100 mil anos, filho da cruza de cinco espécies de gatos selvagens.  


Aqui em casa Lili e Lua são gatas irmãs de diferentes idades e personalidades, Lua jovem senhora tranquila e Lili adolescente sempre a brincar com a irmã. Lua tem manchas pretas e brancas típicas de gata doméstico, Lili tem listras e malhas típicas de gata selvagem da espécie cajarana. 


Lua chegou aqui filhote magra de disputar tetas, e pensamos que levaria tempo até começar a nos livrar de ratos, mas que! No dia seguinte pegou o primeiro, logo-logo o segundo e acabaram-se os ratos.  Lua gosta de carinho mas não procura, sempre com graciosa nobreza.


 

Lili, gata cajarana
Lili, gata cajarana | Dalva Vidotte/ Divulgação
 


Já Lili é a encarnação felina da vivacidade. Rasteja caçando passarinhos, salta caçando mosquitos, caça até folhas caídas. Um barbante vira parque de diversões, embora por poucos minutos, logo Lili está procurando com que mais brincar, ou melhor, aprender. 


É uma gata com curiosidade de macaco, já acabou trancada em guarda-roupa, miando até ser resgatada, e agora conseguiu entrar numa das gavetas dos talheres. Quando fechei a primeira gaveta, ouvi o miado, abri de novo, lá estava ela na segunda gaveta, que dava pra ver pelo fundo vazado da primeira. Tinha passado por ali para entrar, espremendo-se de cima para baixo, mas para sair de baixo para cima não parecia tão fácil. É balcão de gavetas complicadas de tirar inteiras,  então tentei enfiar o braço e pegar a bichinha, ela rosnou.    


Resolvi deixar se divertir no seu esconderijo, para depois encarar a tarefa nada fácil de tirar as gavetas de seus complicados trilhos. Voltei a cozinhar e, sem lembrar, fechei a gaveta. Ela miou, abri a gaveta. Ela me olhava como se perguntando: e aí, não vai me tirar daqui? E passou a cabeça no vão entre as gavetas. Depois passou uma pata, esticou agarrando adiante, para firme assim conseguir puxar a outra pata dianteira e uma traseira. A última pata já puxou como se nada tivesse acontecido e passeou pela pia como Napoleão se exibindo antes de batalha. 


Quando ela sobe em árvore, agarrando com suas garras agudas, a cachorra Branquinha olha com inveja. Mas o gosto dos gatos pela aventura pode ser fatal: tio Goo conta que os domésticos vivem o dobro dos de rua, vitimados por quedas, intoxicações, atropelamentos e... outros gatos, graças à brigas de machos por fêmeas no cio.  


Lili é bem doméstica, embora pareça tão bravia, mas Lua, embora pareça tão doméstica, some até por dias e prefere dormir fora de casa, sabe lá onde. Amanhecendo, no sofá Lili estica as patas e sobe a corcova, pronta para um novo dia. Mas cadê Lua? Quando ela aparece, sempre surgindo do nada, sei que começa bem mais um dia com essa graça de Deus, os gatos. 


...

Os artigos publicados não refletem necessariamente a opinião da Folha de Londrina que os reproduz no exercício de sua atividade jornalística e diante da liberdade de expressão que lhes são inerentes.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo