|
  • Bitcoin 103.514
  • Dólar 5,3317
  • Euro 5,5605
Londrina

ABRAHAM SHAPIRO

m de leitura Atualizado em 20/06/2022, 00:33

O que fazer antes de dar conselhos

PUBLICAÇÃO
segunda-feira, 20 de junho de 2022

Abraham Shapiro
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

Há uma linda história que ouvi de uma pessoa muito querida.

Certa vez, uma mãe veio acompanhada de seu filho visitar um sábio.

— Rabino – disse ela. — O meu filho é viciado em guloseimas. Ele está sempre comendo doces. Se o senhor lhe disser para parar, tenho certeza de que vai conseguir, e será bom para a saúde dele.

O sábio cofiou suas barbas, pensou e em seguida disse à mãe:

— Por favor, volte daqui uma semana junto do seu filho.

A mulher estranhou o pedido, mas retornou na semana seguinte. Então, o rabino fitou a criança e, com a firmeza convicta própria dos sábios, ordenou:

— Menino! Não coma mais doces, ouviu?! Se continuar, isso lhe fará muito mal.

O menino abaixou sua cabeça com respeito e temor. Antes de sair, porém, a mãe se voltou ao rabino dizendo:

— Mestre, agradeço demais pela sua ajuda. Mas, perdoe-me perguntar, por que o senhor não disse logo na primeira vez que aqui estivemos, e nos pediu para vir uma semana depois?

— Ah, sim — respondeu o bom rabino. — É que naquela data eu ainda comia doces.

Moral da história: a coisa mais fácil deste mundo é ordenar aos outros que façam ou não o que achamos certo. Mas só a coerência tem o poder de criar confiança. Se eu adoro doces, como posso aconselhar a alguém que não os coma?

Creio que todos nós – e eu me incluo nisso sem nenhuma restrição ou justificativa – carecemos de refletir sobre o nível real da nossa coerência em relação a todos os nossos valores antes de sairmos mundo afora pregando ideias e conceitos que aceitamos ou admiramos, mas não fazem parte das nossas práticas. 

...

A opinião do colunista  não reflete, necessariamente, a da Folha de Londrina.

Receba nossas notícias direto no seu celular, envie, também, suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link link