|
  • Bitcoin 144.402
  • Dólar 4,8741
  • Euro 5,1466
Londrina

Cidades

m de leitura Atualizado em 14/05/2022, 09:54

Sábado tem mutirão contra dengue nos jardins Belém e Itapoá

Agentes de endemias e da CMTU vão até a zona norte de Londrina para orientar a população e recolher o lixo que será colocado na calçada

PUBLICAÇÃO
sexta-feira, 13 de maio de 2022

Reportagem local
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

Neste sábado (14), a partir das 8h, a  Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e da CMTU (Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização realizarão o segundo mutirão contra a dengue nos jardins Belém e Itapoá, na zona norte de Londrina.

Imagem ilustrativa da imagem Sábado tem mutirão contra dengue nos jardins Belém e Itapoá Imagem ilustrativa da imagem Sábado tem mutirão contra dengue nos jardins Belém e Itapoá
|  Foto: Foto: Vivian Honorato/N.com
 

Cerca de 50 agentes municipais de endemias vão passar de casa em casa orientando os moradores da região sobre os riscos de deixar objetos que podem acumular água parada e sobre a importância limpar a casa e os quintais para evitar a proliferação de focos do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue.

Eles também entregarão sacos plásticos para o descarte correto do lixo e, em seguida, os funcionários da CMTU vão passar recolhendo os materiais com os caminhões nos jardins Belém e Itapoá.

Imagem ilustrativa da imagem Sábado tem mutirão contra dengue nos jardins Belém e Itapoá Imagem ilustrativa da imagem Sábado tem mutirão contra dengue nos jardins Belém e Itapoá
|  Foto: Divulgação - N.Com
 

A região norte foi escolhida por ser o local que mais chama a atenção em relação ao número de casos e focos de dengue. De acordo com o 2° Levantamento Rápido de Infestação do Aedes aegypti de 2022, a região registrou um índice de infestação do mosquito de 10,25%. “Os mutirões têm, além do efeito prático de eliminação dos focos e criadouros, um efeito educativo importante, porque a gente recolhe toneladas de lixo das casas das pessoas, que, às vezes, nem elas entendem porque acumulam esse tipo de objeto”, disse o secretário municipal de Saúde, Felippe Machado.

ESTRATÉGIAS

Segundo o secretario, são utilizadas diversas estratégias para conscientizar a população, pois 97% dos focos de dengue e criadouros estão dentro das casas e quintais, como em vasos de plantas; potes de água de cachorros; ralos de banheiro, cozinha e lavanderia e objetos jogados no quintal. “Ações simples e básicas podem fazer com que a gente evite uma epidemia de dengue na nossa cidade. As pessoas têm que tirar da cabeça que a dengue está nos terrenos baldios, no mato alto ou nos fundos de vale, porque isso corresponde a apenas a 3% dos focos.  Precisamos entender que 97% dos focos estão dentro das casas. Nós temos a total condição de mudar isso, mas precisamos da colaboração de todos”, ressaltou Machado.

Imagem ilustrativa da imagem Sábado tem mutirão contra dengue nos jardins Belém e Itapoá Imagem ilustrativa da imagem Sábado tem mutirão contra dengue nos jardins Belém e Itapoá
|  Foto: Divulgação - N.Com
 

Para facilitar o trabalho de limpeza, o carro de som já está avisando a população dos jardins Belém e Itapoá sobre o que poderá ser descartado. No caso, qualquer objeto que venha acumular água e servir como criadouro para o Aedes deve ser colocado em frente as casas para que os caminhões da CMTU passem recolhendo.

15 MINUTOS

A dica dos agentes municipais de endemias é que a população reserve 15 minutos durante a semana para vistoriar os locais que podem ter água em casa ou no apartamento. A orientação é que os criadouros sejam removidos e descartados em sacos plásticos para a coleta seletiva ou para o recolhimento pelo caminhão de lixo; e que a população não espere que alguém venha resolver o problema, mas, sim, faça a sua parte: limpando a própria casa e seu quintal.

DISQUE DENGUE

As pessoas que verificarem locais com água parada, como em piscinas abandonadas, terrenos, casas e edifícios com descarte irregular de materiais que acumulam água parada, devem denunciar no Disque Dengue, pelo 0800-400-1893. (Com informações do N.Com)

*****

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1