|
  • Bitcoin 109.052
  • Dólar 5,2306
  • Euro 5,5367
Londrina

O BICHO PEGOU

m de leitura Atualizado em 29/10/2021, 08:01

Projeto em Londrina leva cães nas escolas

A iniciativa da Diretoria de Bem-Estar Animal da Sema busca, através da interação entre os animais e estudantes, a melhora no aprendizado e a troca de afetos

PUBLICAÇÃO
sexta-feira, 29 de outubro de 2021

Micaela Orikasa - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

Ah, a química do amor. Para os amantes de animais, a companhia de um amigo de quatro patas é estimulante e prazerosa em qualquer ambiente. Mas qual seria o resultado se esse encontro acontecesse dentro da escola? A equipe da Diretoria de Bem-Estar Animal, da Sema (secretaria municipal do Ambiente) de Londrina foi atrás dessa resposta por meio do projeto EducaPet - Cães na Escola.  

Renata Graner, psicóloga da Sema, com Betinho (que recebeu o nome em homenagem ao CEEBJA Herbert de Souza); Andressa Trevisan, professora do CEEBJA; e as professoras da Sema Adriana Barra e Daniele da Costa, com Frederico Renata Graner, psicóloga da Sema, com Betinho (que recebeu o nome em homenagem ao CEEBJA Herbert de Souza); Andressa Trevisan, professora do CEEBJA; e as professoras da Sema Adriana Barra e Daniele da Costa, com Frederico
Renata Graner, psicóloga da Sema, com Betinho (que recebeu o nome em homenagem ao CEEBJA Herbert de Souza); Andressa Trevisan, professora do CEEBJA; e as professoras da Sema Adriana Barra e Daniele da Costa, com Frederico |  Foto: Sema - Divulgação
 

A ação é uma novidade dentro da Sema, segundo a professora Daniele da Costa, membro da equipe. Ela conta que a ideia tem como base experiências em outros países como no Reino Unido, onde a proposta é desenvolvida com gatos.  “Considerando que o gato demora muito mais tempo para se ambientar, a gente pensou nos cães que estão sob a tutela da Sema neste momento. Atualmente, são 33 gatos e 16 cães. Todos aptos a frequentar o ambiente escolar, assim como para adoção. Eles estão castrados, adestrados, desvermifugados e vacinados”, diz. 

A iniciativa em Londrina tem como objetivo estimular o aprendizado dos estudantes, especialmente no desenvolvimento da leitura, partindo da sensação de bem-estar. “Estudos revelam que os benefícios na interação das pessoas com os animais impactam tanto a saúde física quanto emocional. Naqueles que gostam de animais, a presença deles reduz níveis de cortisol (hormônio do estresse) e ajuda a humanizar o ambiente”, conta a psicóloga Renata Graner. 

Graner participou de um trabalho semelhante na secretaria municipal do Idoso e detalha que as visitas de cães em instituições de longa permanência também colaborava muito na mobilidade porque levava as pessoas a se movimentarem um pouco mais. 

DESENVOLVIMENTO DA LEITURA

No ambiente escolar, Graner explica que a presença canina ajuda os alunos a se sentirem mais relaxados. “A tensão dos estudantes em ler em voz alta, com a atenção toda voltada para eles, diminui com a presença dos cães. Relaxadas, as pessoas conseguem ler melhor porque o foco vai para o animalzinho”, afirma.   

Recém-lançado, o projeto realizou a primeira visita há cerca de uma semana, no CEEBJA Hebert de Souza, na Vila Nova, região central. A ação deve acontecer de duas a três vezes por semana, com duração de uma hora e meia, em escolas públicas, com crianças e adolescentes das turmas regulares e da educação especial, assim como na EJA (Educação de Jovens e Adultos). 

“A recepção foi muito boa. As pessoas entenderam o recado, ouviram e deram suas contribuições. Queríamos que os animais acalmassem as pessoas na hora da leitura e, na verdade, foram os alunos que se preocuparam em acalmar o animal, fizeram uma leitura compassada e com bastante concentração. É algo bem simples e que funciona. Estudos mostram que quando uma pessoa lê para um cão ou gatinho, ela desenvolve melhor a leitura”, completa Costa. 

LEIA TAMBÉM:

- Animal de estimação não é presente 

- Com projeto de patrulha pet vereadora quer guardas municipais para fiscalizar maus-tratos

SENTIMENTO DE CUIDADO

Outro aspecto muito importante, segundo as idealizadoras do projeto, é o sentimento de cuidado que esses animais despertam nas pessoas, pelo fato de serem de resgate, que sobreviveram a maus-tratos. Elas também destacam melhoras na questão comportamental e de socialização, já que os animais ajudam na interação social.  

Cachorro Frederico foi adotado pela família de uma estudante da EJA Cachorro Frederico foi adotado pela família de uma estudante da EJA
Cachorro Frederico foi adotado pela família de uma estudante da EJA |  Foto: Sema - Divulgação
 

“Também aproveitamos o momento para falar das legislações que protegem os animais e dos cuidados. A primeira experiência foi tão boa que um deles, que é um cão idoso e com problemas de visão, foi adotado no mesmo dia pela família de uma estudante da EJA. Era um animal, que por essas condições, estava com dificuldade para conseguir um novo lar”, conta. 

SERVIÇO: Mais informações sobre o EducaPet - Cães nas Escolas, através do fone: (43) 3372-4765 ou 3372-4775, das 9h às 18h, na Diretoria de Bem-Estar Animal. 

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.