Prefeitura quer comprar freezer para vacinas da Pfizer até o fim de maio

Declaração foi feita nesta terça-feira, pelo secretário de Saúde de Londrina; temperatura de conservação do imunizante é diferente da Coronavac e da AstraZeneca

Rafael Machado - Grupo Folha
Rafael Machado - Grupo Folha

O secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, garantiu nesta terça-feira (4) que o freezer para armazenar as vacinas da Pfizer deve ser comprado pela prefeitura até o final de maio. A declaração foi dada durante entrevista coletiva. A temperatura de conservação do imunizante é diferente da Coronavac e da AstraZeneca, que já são aplicadas no município. A dose da farmacêutica americana tem que ser guardada entre -80°C e -60°C. 


 

Prefeitura quer comprar freezer para vacinas da Pfizer até o fim de maio
Luis Robayo / AFP
 




A secretaria já iniciou um processo interno para a aquisição. O termo de referência, documento inicial que embasa a licitação, foi encaminhado no final da semana passada à Secretaria de Gestão Pública. O próximo passo agora é analisar quatro orçamentos, que devem ser enviados até esta terça. O pedido foi para que o processo caminhe em caráter de urgência. 



Como a tramitação ainda não terminou, Machado não soube dizer qual deve ser o modelo licitatório. Ele também não explicou quanto deve ser investido na compra do aparelho. "Um freezer como esse, que é chamado de ultrafreeezer, pode armazenar de 40 a 50 mil vacinas da Pfizer. Como a quantidade é grande, solicitamos apenas um equipamento". 



OFÍCIO

Na live do último domingo (2), o prefeito Marcelo Belinati assegurou que a cidade tem "toda a estrutura para receber as doses da Pfizer". Por enquanto, o Ministério da Saúde liberou somente para capitais. O Paraná recebeu 32.760 imunizantes, que ficarão em Curitiba. Porém, a Prefeitura de Londrina oficiou o governo federal pedindo que uma remessa venha para o município. No documento, Belinati não especificou uma quantidade exata. 



Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Assine e navegue sem anúncios [+]

Continue lendo