ALERTA -

Porecatu e Florestópolis endurecem medidas contra Covid

Cidades da Região Metropolitana de Londrina limitaram horário de funcionamento de atividades e definiram toque de recolher diante de aumento nos casos

Pedro Marconi - Grupo Folha
Pedro Marconi - Grupo Folha

 

Porecatu começou a semana com 162 casos ativos de coronavírus
Porecatu começou a semana com 162 casos ativos de coronavírus | Sergio Ranalli 6/8/2015
 


Duas cidades da Região Metropolitana de Londrina decidiram endurecer as medidas de prevenção e controle da Covid-19, numa tentativa de mitigar o aumento de casos da doença, o que tem deixando as autoridades locais em alerta. Em Porecatu, a prefeitura determinou até o dia 23, domingo, uma espécie de “mini lockdown”, com funcionamento pleno apenas das atividades consideradas essenciais. 


O comércio pode atender nos sistemas de take away, com uma pessoa por vez, e por delivery, obrigatoriamente com as portas fechadas. Os supermercados estão liberados para funcionar, mas sem levantar as portas, sendo autorizada a entrada de clientes com agendamento, limitando a frequência de 30 pessoas por hora. 


Padarias, açougues, mercearias, lojas de conveniência e restaurantes poderão funcionar diariamente, recebendo clientes, no horário das 6h às 18h. Já bares e lanchonetes terão que fechar, podendo atender apenas no delivery. O consumo de bebidas alcoólicas em locais públicos foi proibido, assim como a prática de atividades esportivas em grupos. O toque de recolher foi instituído das 18h às 5h do dia seguinte. 


O poder público já havia editado um decreto anterior nas últimas semanas, com foco em mercados - onde existe uma maior circulação de pessoas -, no entanto, não foi notado um efeito prático nos números. “Verificamos um aumento dos casos e precisávamos tomar alguma providência antes que entre numa situação mais grave”, destacou Naila Maria Alves Giota, secretária municipal de Saúde.  


POSITIVADOS

No domingo (16), a cidade de quase 13 mil habitantes chegou a 1.113 infectados com o coronavírus, com 922 recuperados e 150 em isolamento domiciliar. Foram 16 casos a mais em comparação com o boletim divulgado sábado (15). Perderam a vida 24 pessoas e outros cinco óbitos estão em investigação. Porecatu começou a semana com 162 casos ativos positivados.  



LEIA TAMBÉM:

Ladrões levam vacinas em Porecatu, mas deixam doses contra Covid


“Percebemos que antes, se mandássemos 20 exames, vinham cinco positivos. Agora, se mandamos 20, vêm 16, 17 positivos. Não é uma situação só nossa, mas de toda a região”, alertou. Estão internados 12 porecatuenses. “Temos hospital de baixa complexidade e se o caso é leve fica no hospital. Se agrava, inserimos o paciente na central de leitos e faz todo o processo (para transferência a outra instituição).” 


Também foi determinado o fechamento de agências bancárias, ficando liberados os caixas eletrônicos. Está vedada a locação de espaços e chácaras de lazer para realização de eventos de qualquer natureza. “Estamos fazendo nossa parte. Pedimos conscientização da população para ajudar. Não adianta (ter o decreto e) as pessoas fazerem festas nas casas, porque estamos numa guerra e nosso inimigo é invisível”, destacou Naila Giota. 


FLORESTÓPOLIS

Menos de 14 quilômetros de distância de Porecatu, o município de Florestópolis definiu uma série de regras mais rígidas para diminuição de circulação por 14 dias. As disposições foram publicadas na última quinta-feira (13) e vão até às 5h do dia 28 de maio. Entre as ações está a limitação no horário de funcionamento de diversos serviços. Padarias, por exemplo, podem atender das 6h às 18h; postos de combustíveis das 6h às 20h; e comércio em geral e supermercados das 9h às 18h. 


Restaurantes, pizzarias, lanchonetes e bares estão autorizados a funcionar, de segunda-feira a sábado, das 9h às 18h. “O município é pequeno e durante o transcorrer do dia não há aglomeração a ponto de justificar restrição antes deste horário. No final da tarde e noite ocorrem aglomerações. A partir das 18h e até às 23h pode haver o delivery”, explicou o procurador jurídico, Leandro Frassato Pereira. No domingo, estes estabelecimentos podem atuar só com entrega. A cidade tem cerca de 10.500 moradores. 


Florestópolis tinha 953 casos confirmados da Covid-19 até sexta-feira (14), levando em conta desde o início da pandemia, com 44 ativos e atestados e outros 47 suspeitos em monitoramento. Crescimento de 15% nos casos no período de um mês. Dos positivados, quatro demandaram internação. Morrera em decorrência da doença 22 pessoas, enquanto que outras 885 são consideradas curadas. “Tínhamos tido uma redução (nos casos), mas voltou a ter o aumento”, ressaltou Pereira. 


A fiscalização dos locais abarcados pelas medidas é feita pelos servidores da prefeitura, como o setor de vigilância. A penalidade pelo descumprimento varia de advertência a multa e, em situações extremas, suspensão das atividades. “Tem que ter conscientização, porque é impossível fiscalizar tudo”, afirmou. Continuam impedidas a realização de confraternizações, reuniões ou eventos, além da locação de espaços de lazer. 



LEIA TAMBÉM:

Mulher é presa em Apucarana com doses da vacina contra Covid-19

Professora da UEL defende 'comida de verdade' para melhorar a imunidade




Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito
Assine e navegue sem anúncios [+]

Últimas notícias

Continue lendo