COVID-19 -

Maringá aguarda resultado do Lacen para concluir morte por coronavírus

Hospital emite nota dizendo que sintomas eram compatíveis com Covid-19 e que caso é tratado como suspeito

Laís Taine - Grupo Folha
Laís Taine - Grupo Folha

Uma mulher de 54 anos com suspeita de ter contraído Covid-19 morreu na tarde de quarta-feira (25), no Hospital Metropolitano, em Sarandi, Região Metropolitana de Maringá. Segundo nota do hospital, a paciente foi internada na sexta-feira (20) com sintomas compatíveis com coronavírus, foram coletadas amostras para exames. A mulher chegou a ir para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) dois dias antes de sua morte. O caso está sob investigação e aguarda os resultados do Lacen (Laboratório Central do Estado do Paraná). 

Maringá aguarda resultado do Lacen para concluir morte por coronavírus
 




Nas redes sociais, o marido chegou a publicar que a o estado de saúde da mulher havia se agravado e pediu que as pessoas olhassem a doença com mais consciência. Ele mencionou a suspeita sobre o coronavírus e dias depois relatou se sentir angustiado com o isolamento. Há duas semanas, o marido também publicou fotos da viagem que o casal teria feito em cidade do Nordeste do Brasil e o retorno a Maringá, onde vive, com passagem por aeroporto em São Paulo. 







O Hospital Metropolitano de Sarandi confirmou a morte da paciente. Em nota, explicou os procedimentos aplicados. “A paciente foi internada na sexta, 20, com sintomas compatíveis com coronavírus, e aplicado os protocolos de prevenção, com isolamento e coleta de amostras para exames. O resultado ainda não saiu, portanto, o caso é tratado como suspeito ainda”, indicou. 


LEIA TAMBÉM:

Moradora de Maringá morre aos 54 anos com suspeita de covid-19


A unidade acrescentou que a mulher necessitou de transferência à UTI no domingo (22) e que “apesar de todos os procedimentos adotados sua recuperação, a paciente evoluiu para óbito.”  


DE 7 A 10 DIAS 

Ederely Ribeiro Alkamim, diretor da 15ª Regional de Saúde, explica que todos os casos graves de síndrome respiratória aguda são investigados e salienta que a síndrome pode ser causada por várias doenças e não somente por Covid-19. Por conta disso, seguiu-se conforme orientações. “O paciente seguiu todo o protocolo, o caso está sob investigação como qualquer outro e espera-se o resultado do exame pelo Lacen”, afirma. A média de resposta é de 7 a 10 dias. 


Entre as 14 cidades que fazem parte da 15ª Regional de Saúde, apenas Maringá tem casos confirmados. De acordo com boletim oficial divulgado diariamente pela Sesa (Secretaria do Estado da Saúde), são dois casos confirmados e 90 em investigação, diferente do divulgado pela prefeitura. 


BOLETIM DA PREFEITURA 

Apesar de a Sesa divulgar dois casos confirmados por Covid-19 em Maringá, a prefeitura da cidade apresenta outro boletim, com cinco casos confirmados. “A diferença nos números de casos confirmados com COVID-19 sobre o boletim da Secretaria de Saúde do Paraná ocorre porque o estado não considera os diagnósticos positivos de laboratórios particulares. A Secretaria de Saúde de Maringá optou por abranger nos boletins diários os casos testados positivamente tanto da rede pública de saúde, quanto da rede privada”, explicou em nota enviada à imprensa. 


DECRETOS 

Maringá é uma das cidades do Paraná que mais adotou medidas restritivas de isolamento social. Além de obedecer aos decretos suspendendo serviços em todo o Estado, a cidade também aplicou o toque de recolher das 21h às 5h e fechamento da Rodoviária Municipal. O município também foi um dos primeiros a pedir fechamento do comércio, apresentou medidas de auxílio psicológico por telefone e aplicou serviços de higienização de espaços públicos. 




SESA

A Secretaria do Estado de Saúde respondeu que os exames ainda não ficaram prontos e que, enquanto não sair o resultado com confirmação, o caso não será tratado como morte por coronavírus.

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Tudo sobre:


Continue lendo


Últimas notícias