OBRAS -

Início das obras na avenida Rio Branco com Leste-Oeste deve ser autorizado nesta quarta-feira

Prefeito vai assinar ordem de serviço que permite a construção de trincheira; estimativa para a conclusão é de dois anos

Laís Taine - Grupo Folha
Laís Taine - Grupo Folha

As obras na trincheira da avenida Leste-Oeste com a Rio Branco estão próximas de serem iniciadas. Na manhã desta terça-feira (26), os secretários municipais de Planejamento, Orçamento e Tecnologia, Marcelo Canhada, e de Gestão Pública, Fábio Cavazotti, estiveram no local para ajustar os últimos pontos antes de o prefeito Marcelo Belinati assinar a ordem de serviço, o que deve ocorrer nesta quarta-feira (27). Durante todo o dia, os secretários vão visitar oito obras públicas do município. 

 

Início das obras na avenida Rio Branco com Leste-Oeste deve ser autorizado nesta quarta-feira
NCom/Divulgação
 

O motivo das visitas, segundo Cavazotti, é a organização não só do processo de contratação, com processo de licitação mais ágil, mas também na execução da obra, visando melhor planejamento. “A gente vai até o local, planeja qual a frente que vai começar primeiro, se há necessidade de alteração de tráfego, entre outros, para que a gente, na execução da obra, não tenha aquele monte de problema que a gente pode prever. Uma espécie de mapeamento de risco no início do processo”, afirma. 


A primeira visita foi justamente na obra que terá maior intervenção e impacto na rotina dos londrinenses: a trincheira que será construída no lugar da rotatória das avenidas Rio Branco e Leste-Oeste. “Esta obra está prestes a ser iniciada, a gente vai dar ‘ok’ para o prefeito hoje, para que possa dar a ordem de serviço, provavelmente, já amanhã, na quarta-feira", afirma. 

 

Início das obras na avenida Rio Branco com Leste-Oeste deve ser autorizado nesta quarta-feira
Folha Arte
 


A obra estimada em R$ 25 milhões tem prazo para ser finalizada até dia 10 de janeiro de 2023. Dois anos de uma obra grande em local de muita circulação. “Essa é uma obra sonhada, absolutamente importante para a mobilidade urbana da cidade de Londrina. Uma obra grandiosa, de R$ 25 milhões de investimentos, que tem uma complexidade maior que o próprio viaduto da 10 de dezembro, que até então, era a maior obra urbana das últimas décadas de Londrina”, compara Canhada. 


O secretário afirma que por ali circulam aproximadamente 20 mil veículos todos os dias e que vai ser necessário o apoio da população para que se adaptem às rotas alternativas. Para agilizar o processo, a CMTU (Companhia Municipal de Trânsito) adiantou sinalização para que a população passasse a buscar outras vias antes mesmo do início das obras. Foram sugeridas sete rotas alternativas para que se evite passar pelo local durante a obra. 


Na construção, serão utilizadas 294 toneladas de aço, 6,7 mil toneladas de asfalto, 3,5 quilômetros de galerias e contará com 4 quilômetros de ciclovia. “Essa é uma obra que demorou muito tempo para conquistá-la e muito importante para a mobilidade urbana”, menciona o secretário de Planejamento, Orçamento e Tecnologia.  


Além da trincheira a ser construída, os secretários vão passar pelas obras da reforma do Pronto Atendimento do Jardim Leonor, pela construção da Escola Municipal Moradas de Portugal, nas obras do novo Terminal Urbano Milton Gavetti, no Tecnocentro, na reforma da nova sede da Secretaria Municipal de Assistência Social e pela construção do CMEI (Centro Municipal de Educação Infantil) Nova Esperança. 


Secretários visitam obras públicas de Londrina


Além da trincheira que será construída no encontro das avenidas Rio Branco e Leste-Oeste, os secretários municipais de Planejamento, Orçamento e Tecnologia, Marcelo Canhada, e de Gestão Pública, Fábio Cavazotti, passaram por mais sete obras que estão em execução na cidade, nesta terça-feira (26). Objetivo é acompanhar, fiscalizar e planejar a execução. 


“Via de regra, nós acompanhamos as obras com o fiscal da obra. Cada uma tem um engenheiro, que é um servidor público, que é fiscal da obra. Os problemas que podem surgir ou que surgiram são resolvidos ali na hora e isso faz com que a gente diminua a possibilidade de atrasos”, responde Canhada. Segundo ele, as visitas são feitas semanalmente desde o ano passado. 


CRONOGRAMA
Nessas passagens, os cronogramas são avaliados. "Normalmente, a gente coloca as obras atrasadas no roteiro como prioridade”, afirma. A FOLHA pesquisou, no Portal de Transparência da Prefeitura, a situação das obras visitadas pelos secretários nesta terça-feira (26). 


O Pronto Atendimento do jardim Leonor (Oeste) tinha prazo original de até 4 de agosto, recebeu três aditivos, que somados dão 195 dias a mais para conclusão, que está prevista para 15 de fevereiro. Os valores também foram aumentados em mais R$ 157.677, além dos R$ 937.791,29 contratados inicialmente. No documento, a obra consta em um estágio de 62% de conclusão. 


O mesmo ocorre com o Terminal Urbano Milton Gavetti, que recebeu aditivo de prazo, 90 dias, e de valor R$ 35.534,80. Atualmente, o estágio da obra é de 75% de conclusão, o estimado para esta data era de 90%. A previsão de entrega agora é para 29 de abril. 


A Escola Municipal Moradas de Portugal, também estava no roteiro de visitas dos secretários. A obra não possui aditivos, está 60% concluída e o prazo estimado de entrega é dia 20 de abril deste ano.  


Já as obras do Tecnocentro estão atrasadas. Foram aplicados três aditivos de tempo, somando 225 dias a mais do que o estipulado inicialmente e R$ 276.668 somados ao R$ 2.638.462 do contrato inicial. A obra está 61% concluída e o novo prazo de entrega é para o dia 5 de abril de 2021. 


A reforma da nova sede da Secretaria Municipal de Assistência Social foi concluída, mas recebeu 120 dias a mais de prazo em três aditivos diferentes. O valor também foi aumentado em R$ 45.039 além do R$ 1.046.547,40 investido no contrato inicial. A obra estava no roteiro dos secretários. 


A construção do CMEI Nova Esperança (Sul) também foi visitada pelas autoridades da prefeitura. A  obra recebeu um aditivo de 60 dias a mais de prazo e de R$ 85.242,46 no valor. A construção está 40% concluída e o prazo para término é dia 17 de junho deste ano. 


 

Obra na avenida Faria Lima
Obra na avenida Faria Lima | Emerson Dias/N Com
 


Uma das obras mais problemáticas da cidade, a da avenida Faria Lima, é o último ponto visitado pelos secretários. O trecho dois, em direção à avenida Maringá, está em execução, saiu do valor original de R$ 3.871.550,41 para R$ 4.430.133,34. A obra está 65% concluída. O tempo também foi aumentado em 250 dias, com prazo para término próximo: para o dia 1º de março. 


Sobre a avenida Faria Lima, o secretário comenta. “Muitas das coisas que estavam ali foram resolvidas, ela está bem encaminhada, mas ainda falta uma ou outro trabalho de drenagem e a construção de uma rotatória, nós estamos otimistas com a possibilidade de entregar no final do mês de fevereiro”, afirma Canhada.  


O secretário afirmou que nenhuma obra ficou parada e que existe um cronograma que as empresas têm que seguir. “A prefeitura tem sido rígida na questão da fiscalização, inclusive com a aplicação de penalidade e, eventualmente, até do rompimento do contrato com a empresa. Foi assim na reforma da sede  da Secretaria Municipal de Educação, no ginásio Moringão e, provavelmente, está em tramitação, a obra da UBS (Unidade Básica de Saúde) do jardim Fraternidade”, afirma.


Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Tudo sobre:

Últimas notícias

Continue lendo