|
  • Bitcoin 105.871
  • Dólar 5,2239
  • Euro 5,4735
Londrina

Cidades

m de leitura Atualizado em 19/01/2022, 17:55

Hospital de Arapongas tem 13 pacientes internados para 45 vagas

Honpar chegou a ter 99 pessoas na UTI no pico da pandemia de coronavírus no ano passado

PUBLICAÇÃO
quinta-feira, 20 de janeiro de 2022

Pedro Marconi - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

Desde março de 2020 o Honpar (Hospital Norte do Paraná), em Arapongas (Região Metropolitana de Londrina), também tem sido referência no atendimento SUS (Sistema Único de Saúde) de casos de Covid-19. São 16 município contemplados pelas alas exclusivas da instituição. O atual contrato com o Ministério da Saúde contempla 45 leitos entre enfermaria e UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Na quarta-feira (19) 12 pacientes estavam internados em enfermaria e um em terapia intensiva. 

Imagem ilustrativa da imagem Hospital de Arapongas  tem 13 pacientes internados para 45 vagas Imagem ilustrativa da imagem Hospital de Arapongas  tem 13 pacientes internados para 45 vagas
|  Foto: Divulgação - Honpar
 

Na pior fase da pandemia, em 2021, sem vacinação completa em massa, o hospital chegou a ter 99 pessoas hospitalizadas somente na UTI. “Depois da vacinação observamos que pela quantidade de pacientes na UTI são poucos óbitos. A vacina é eficaz sim, só que as pessoas precisam ter noção de que não é porque está vacinado que não pode se infectar", lembrou Umberto Tolari, presidente do Honpar. Arapongas tem 68,7% de toda a população imunizada com duas doses ou dose única e 16% com a terceira. 

Maioria dos internados em Londrina não tem esquema vacinal completo

Assim como nos hospitais de Londrina, o representante do Hospital Norte do Paraná relatou que os pacientes que vão para leito demandam de menos oxigênio se comparado à realidade do ano passado e retrasado. O médico declarou que tem notado que as pessoas que foram vacinadas se recuperam mais rápido e os efeitos do vírus são menores.  

“Temos visto que o paciente, que já vem filtrado pela UPA (Unidade de Pronto Atendimento), vai mais para a enfermaria e o período de utilização do oxigênio e medicação é mais curto. Antigamente tinha paciente que ficava 15, 20 dias internado. Hoje se recupera em quatro, cinco dias”, detalhou. O hospital também atende casos Covid que chegam pela rede particular e convênio. 

LEIA TAMBÉM:Arapongas e Ibiporã começam a vacinar crianças nesta terça-feira

O vínculo do Honpar com o governo para manutenção dos leitos vai até o final do mês. “Vai depender da necessidade por essa nova onda continuar ou não (com eles abertos). No ano passado tivemos uma quantidade elevada de leitos e temos facilidade de ajustar, se precisar. O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, já nos pediu para estarmos preparados para uma eventual necessidade de aumento. Estamos em alerta”, explicou. “A prevenção, com vacina, máscara e álcool, ainda é o melhor tratamento e remédio”, acrescentou. 

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1