|
  • Bitcoin 103.168
  • Dólar 5,3317
  • Euro 5,5605
Londrina

Cidades

m de leitura Atualizado em 26/05/2022, 16:13

Enfrentando epidemia, cidades da RML intensificam ações contra a dengue

Casos 'disparam' em Londrina, Cambé, Centenário do Sul, Porecatu, Rolândia, Primeiro de Maio e Sertanópolis; alerta é em toda a 17ª RS

PUBLICAÇÃO
quarta-feira, 25 de maio de 2022

Micaela Orikasa - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

Foto: Istock
menu flutuante

Considerando a análise histórica e números atuais de casos prováveis, a Sesa (Secretaria de Estado da Saúde) alerta para a situação de epidemia em toda a 17ª Regional de Saúde, especialmente nos municípios de Cambé, Centenário do Sul, Londrina, Porecatu, Primeiro de Maio, Rolândia e Sertanópolis.

Dos 21 municípios que compõem a Regional, outros oito estão com transmissão sustentada da dengue, que pode converter-se em epidemia nas próximas semanas. Todo esse cenário tem gerado uma intensificação de ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, como mutirões e uso de UVB (Ultra Baixo Volume) costal e fumacê.  

Em toda a 17ª RS, que envolve uma população de 964.251 habitantes, foram registradas até terça-feira (24) 19.688 notificações da doença, tendo 1.368 casos confirmados e dois óbitos. As vítimas são de Londrina, sendo um homem de 85 anos e uma mulher de 86 anos.  

Em nota, a Sesa afirma que “em termos de controle vetorial, tem-se intensificado as ações de remoção mecânica de criadouros com o apoio do uso de inseticida. Os municípios de Primeiro de Maio e Londrina contam com a operação da UBV Pesada, também conhecida como ‘fumacê’. Aguardamos a análise/liberação para a solicitação do município de Rolândia. Municípios menores, como Centenário do Sul e Porecatu tem intensificado as ações de controle vetorial com o uso da UBV Costal, que tem maior eficiência do que o ‘fumacê’”. 

FUMACÊ E UBS EXCLUSIVA EM PRIMEIRO DE MAIO 

Em Londrina, a aplicação do fumacê teve início na segunda-feira (23), em bairros da zona norte e leste. Em Primeiro de Maio, a medida começou em 17 de maio. “Um veículo está percorrendo todos os bairros do município, mas também estamos fazendo uso de UBV costal. A secretaria municipal de Saúde já havia observado um aumento de notificações em meados de março, iniciando uma série de medidas de enfrentamento, como mutirões para eliminação de criadouros, diálogo com outras secretarias e abastecimento do estoque de soro fisiológico”, afirma a secretária da pasta, Maria Rita Xicarelli.  

Imagem ilustrativa da imagem Enfrentando epidemia, cidades da RML intensificam ações contra a dengue Imagem ilustrativa da imagem Enfrentando epidemia, cidades da RML intensificam ações contra a dengue
|  Foto: Vivan Honorato -N.Com
 

A UBS (Unidade Básica de Saúde) Central passou a atender exclusivamente os casos suspeitos e confirmados da doença, das 7h30 às 19h. “Chegamos a realizar, em um único dia, 104 atendimentos”, diz Xicarelli. Na cidade, duas mortes por dengue estão em investigação.  

O LIRAa (Levantamento Rápido de Infestação do Aedes aegypti) realizado há cerca de dois meses apontou um índice de 2,3%. A classificação da OMS (Organização Mundial de Saúde) indica uma situação satisfatória se abaixo de 1%, e de alerta entre 1 e 3,9%. No último boletim da Sesa, Primeiro de Maio registrou 729 notificações de dengue, com 20 confirmações da doença.   

REGIÕES PREOCUPANTES EM ROLÂNDIA

Em Rolândia, o diretor de Vigilância em Saúde, Rafael Dias, comenta que o alto número de notificações tem levado ao trabalho de combate mais intenso nas regiões mais preocupantes, como na Vila Operária, Costa do Sol e Jardim América, apontadas pelo LIRAa, divulgado nesta segunda-feira (23). O índice de infestação do Aedes aegypti em todo o município chegou a 4.9%.  

Imagem ilustrativa da imagem Enfrentando epidemia, cidades da RML intensificam ações contra a dengue Imagem ilustrativa da imagem Enfrentando epidemia, cidades da RML intensificam ações contra a dengue
|  Foto: Divulgação/Prefeitura de Rolândia
 

Dados do boletim da Sesa apontam que Rolândia registrou até terça (24), 2.116 notificações e 112 casos positivos de dengue. “Estamos realizando bloqueios educacionais, de porta em porta, remoção dos criadouros e UBV costal. Os profissionais de saúde são orientados a registrar todas as suspeitas de dengue para que possamos direcionar as ações para localidades específicas, visando quebrar a cadeia de transmissão do mosquito. Com a situação de epidemia em todo o Estado, os resultados dos exames estão demorando mais para serem liberados, podendo chegar até uma semana”, explica.  

NO PARANÁ 

O Paraná disparou em número de notificações em comparação com os dados epidemiológicos da última semana. De acordo com o último boletim da Sesa, houve um aumento de 20.609 notificações (13,6%), passando de 150.752 para 171.361 registros. Os casos confirmados chegam a 67.655, ou seja, 11.464 a mais (20,4%) que no levantamento anterior.   

Segundo a Sesa, observa-se uma predominância do sorotipo DENV1 em todas as regiões. Também foram confirmados 17 casos de Chikungunya em todo o Estado. Apesar de 75 notificações de Zika, nenhum caso foi confirmado até o momento. 

MUTIRÕES EM CAMBÉ 

Em Cambé, as suspeitas de dengue somaram 2.619 notificações, com 178 confirmações da doença. Os números no município de pouco mais de 107 mil habitantes levaram à intensificação das ações de combate. Segundo a coordenadora da Vigilância Ambiental do Município, Nelci Mariano da Silva, o LIRAa realizado no início de maio, apontou um índice de infestação de 1.4%, com maior número de focos na região do Centro e Cambé II. “Esse período de frio, quase na entrada do inverno, era para estarmos com um cenário da dengue mais tranquilo, mas não é isso que os números vêm mostrando”, comenta.  

Prefeitura de Cambé tem uma programação para os mutirões de limpeza nos bairros: objetivo é retirar materiais que possam acumular água Prefeitura de Cambé tem uma programação para os mutirões de limpeza nos bairros: objetivo é retirar materiais que possam acumular água
Prefeitura de Cambé tem uma programação para os mutirões de limpeza nos bairros: objetivo é retirar materiais que possam acumular água |  Foto: Divulgação/Prefeitura de Cambé
   

Os bairros do centro e Cambé II vão receber o mutirão no próximo sábado (28). “Vamos retirar todos os materiais que possam acumular água, exceto resíduos de construção e galhos de árvores”, diz. Os próximos mutirões serão na região Cristal e Guarani, no dia 04 de junho, Santo Amaro e São Paulo no dia 11 de junho, e Novo Bandeirantes e 24h, no dia 25.  A nebulização de inseticida tem sido realizada com o aparelho UBV costal em todas as regiões e a prefeitura municipal está concluindo os protocolos para pedido de aplicação do fumacê junto ao Governo do Estado. 

****

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1.