CMTU quer que agentes sejam incluídos na imunização de profissionais da segurança

Companhia encaminhou ofício à secretaria de Saúde de Londrina para intermediar o cadastro dos agentes junto à Sesa

Rafael Machado - Grupo Folha
Rafael Machado - Grupo Folha

 

CMTU quer que agentes sejam incluídos na imunização de profissionais da segurança
Roberto Custódio - 21-09-2020
 

Iniciada nesta terça-feira (6) em Londrina, a vacinação de profissionais da segurança pública não contemplou uma categoria que, segundo a Constituição Federal, também é integrante do grupo: os agentes de trânsito. O diretor de Trânsito da CMTU (Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização), Sérgio Dalbem, confessou à FOLHA que ficou surpreso pelo fato dos servidores não terem sido imunizados até o momento. 


 

CMTU quer que agentes sejam incluídos na imunização de profissionais da segurança
Reprodução/CMTU
 





Dalbem encaminhou um ofício ao secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, para intermediar o cadastro dos agentes junto à Sesa (Secretaria Estadual de Saúde). O pedido se baseia em uma modificação feita na Constituição Federal em 2014. Na época, uma emenda incluiu no artigo 144 os fiscais e engenheiros de trânsito, por exemplo, na lista de trabalhadores da segurança pública. Machado confirmou à reportagem que repassou a demanda ao Ministério da Saúde, mas ainda não recebeu resposta.  



O diretor argumentou que servidores do setor de outras pastas, como a Secretaria de Obras e o Ippul (Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Londrina), também podem ser incluídos. "Muita gente nem sabe dessa alteração constitucional e que é essencial em um momento importante, no caso a vacinação. Esse direito foi conquistado há sete anos, ou seja, faz tempo já", apontou. 



Londrina tem 50 agentes de trânsito, 38 trabalhando nas ruas e o restante internamente. Quem atua na fiscalização se divide em três turnos que vão das 7h às 20h. "Desde o primeiro dia da pandemia, os agentes não pararam. Por exemplo, são eles que orientam as pessoas que serão vacinadas nos pontos de imunização, indicam onde estacionar o carro e dão maior fluidez ao tráfego" justificou Sérgio Dalbem.



POUCAS DOSES

Apesar do alívio, os profissionais de segurança ainda estão com um lote pequeno de vacinas reservadas. Nesta terça, apenas 120 servidores da área, entre guardas municipais, policiais militares, policiais penais e bombeiros, receberam a primeira dose contra o coronavírus no 5º Batalhão. A Secretaria Municipal de Saúde admitiu que "é um número insuficiente". A 17ª Regional de Saúde espera a chegada de novas remessas para os próximos dias.   



Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1

  

Como você avalia o conteúdo que acabou ler?

Pouco satisfeito
Satisfeito
Muito satisfeito

Últimas notícias

Continue lendo