|
  • Bitcoin
  • Dólar
  • Euro
Londrina

Cidades 5m de leitura Atualizado em 06/01/2022, 06:54

Bem-vindos: 23 bebês nascem em 24 horas em Cascavel

O Hospital Universitário do Oeste do Paraná registrou uma marca curiosa de 23 nascimentos no dia 3 de janeiro

PUBLICAÇÃO
quarta-feira, 05 de janeiro de 2022

Micaela Orikasa - Grupo Folha
AUTOR autor do artigo

menu flutuante

O ano de 2022 começou bem movimentado no Centro Obstétrico do Huop (Hospital Universitário do Oeste do Paraná), em Cascavel. No dia 3 de janeiro, a unidade registrou 23 nascimentos. Um fato curioso que levou muita gente a se perguntar o que poderia ter acontecido para que tantos bebês nascessem no mesmo dia.  

"O Heitor era para vir dia 17, mas na madrugada do dia 3 comecei a sentir dores e às 3h01 ele nasceu”, conta Beatriz Aparecida Ferreira Machado
"O Heitor era para vir dia 17, mas na madrugada do dia 3 comecei a sentir dores e às 3h01 ele nasceu”, conta Beatriz Aparecida Ferreira Machado |  Foto: Divulgação/Houp
 

Apesar de não existir comprovação científica, há a crença popular de que viradas de lua podem exercer certa influência nos partos, assim como ocorre nas marés e correntes oceânicas. Verdade ou não, o fato é que após a mudança de lua minguante para lua nova, na tarde do dia 2 de janeiro, a maternidade bateu recorde de nascimentos.

“Não que isso dê algum sentido, mas a gente estava acompanhando a mudança da lua para ver se batia (o nascimento) ou não. O Heitor era para vir dia 17, mas na madrugada do dia 3 comecei a sentir dores e às 3h01 ele nasceu”, conta Beatriz Aparecida Ferreira Machado, acrescentando que a "aposta" na mudança de lua também era de familiares e amigos que passaram a virada de ano junto com ela. Heitor nasceu de parto natural, com 50 centímetros e pesando pouco mais de 3 kg. 

TRABALHO SATISFATÓRIO

Referência na região, incluindo em gestações de alto risco, o Houp realiza aproximadamente 350 partos a cada mês. “Temos uma média de 10 a 11 partos por dia e houve um acréscimo de partos nesta data que acabou chamando bastante atenção. Numa situação dessas, as equipes tiveram que fazer um esforço conjunto para manter o atendimento de qualidade para as mães e bebês, mas é um trabalho muito satisfatório porque, ao contrário de outras alas do hospital, as pessoas estão internadas no setor por um momento de alegria”, destaca o diretor geral do Houp, Rafael Muniz de Oliveira.  

As equipes do CO (Centro Obstétrico) tiveram um trabalho redobrado com os partos que começaram às 6h do dia 3 de janeiro e terminaram às 6h do dia seguinte. “Desses nascimentos nenhum bebê precisou ir para as unidades de terapia intensiva ou de cuidados intermediários. E todas as mães também passam bem”, comenta. 

Imagem ilustrativa da imagem Bem-vindos: 23 bebês nascem em 24 horas em Cascavel
|  Foto: Divulgação/Houp
 

LEIA TAMBÉM:

- Primeiro bebê de 2022 em Londrina nasce na Maternidade Municipal

PARTO HUMANIZADO  

O Houp conta com uma equipe multidisciplinar qualificada para a manutenção de partos humanizados. Além de todas as informações sobre os direitos, riscos e saúde, as gestantes atendidas no Houp têm acompanhamento no pré-natal, assim como direito a acompanhante e escolha da posição para o parto. “Ela tem o direito do parto normal e durante o trabalho de parto ela pode caminhar, comer, escolher como ela quer ficar, em que posição”, comenta a coordenadora de Enfermagem do CO do Huop, Nagmara Engel. 

Após o nascimento, a mãe pode permanecer com o bebê na primeira hora de vida e o banho só é dado após 24 horas, conforme recomendação da OMS (Organização Mundial da Saúde). “A primeira hora que o bebê nasce é muito importante também porque ele nasce choroso, bem acordado, então é o momento que ele vai estar ativo para aprender a mamar certo. O que chamamos de ‘grudezinho’ é o vérnix que está no bebê, rico em vitamina A”, explica. A substância protege a pele do bebê e ajudar a estabilizar a temperatura corporal do recém-nascido. 

COVID-19 

Durante a pandemia da Covid-19 houve necessidade de realizar mudanças no fluxo interno hospitalar, e por conta do espaço restrito do Centro Obstétrico, os acompanhantes não são permitidos em situações em que a ocupação da unidade está em 100%, visando a não proliferação do vírus e a segurança das demais gestantes/puérperas e respectivos recém-nascidos. Dessa forma, a equipe tem auxiliado para tentar suprir a falta do acompanhante. 

O Houp é o único hospital SUS da macrorregião Oeste do Estado, que envolve cerca de 94 municípios e quase dois mil habitantes. Atualmente, o hospital conta com 273 leitos ativos e uma média de mil atendimentos/mês. (Com  Houp) 

Receba nossas notícias direto no seu celular! Envie também suas fotos para a seção 'A cidade fala'. Adicione o WhatsApp da FOLHA por meio do número (43) 99869-0068 ou pelo link wa.me/message/6WMTNSJARGMLL1. 

instagram

ÚLTIMOS POSTS NO INSTAGRAM